Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Da Revista Cenarium*

SUIÇA – A Síria enfrenta uma crise de fome sem precedentes: 9.3 milhões de pessoas não possuem nenhum acesso a alimentação adequada. Enquanto isso, a propagação do novo Coronavírus no País, embora supostamente controlada, pode acelerar. Segundo a Reuters, o alerta foi dado pela agência da Organização das Nações Unidas (ONU), na sexta-feira, 26.

O Programa Alimentar Mundial (PAM) comunicou em Genebra que o número de pessoas em grave carência de bens alimentares essenciais cresceu em 1.4 milhões nos últimos seis meses.

Preços de alimentos também aumentaram em mais de 200%, em menos de um ano, devido à queda livre da economia do Líbano, país vizinho, e às medidas de isolamento social impostas na Síria, segundo reportou Elisabeth Byrs, porta-voz do PAM, à Reuters.

Após nove anos de conflito armado, mais de 90% da população síria vive abaixo da linha da pobreza – isto é, US$ 2 por dia. Necessidades humanitárias logo tornam-se mais urgentes, afirmou Akjemal Magtymova, representante do PAM na Síria, em comunicado separado.

Segundo a oficial, menos da metade dos hospitais públicos na Síria estão operando e metade da mão de obra qualificada do setor de saúde fugiu do país desde o início do conflito, aqueles que permanecem enfrentam “ameaça iminente de sequestro e assassinato”.

Autoridades locais reportaram apenas 248 casos de Coronavírus e 9 mortes, nas áreas controladas pelo governo sírio. Cinco casos e uma morte foram registrados pela administração curda no norte da Síria, segundo a OMS.

(*) Com informações com a Reuters