8 de março de 2021

Com informações Portal 247

MANAUS – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski encaminhou nesta sexta-feira, 22, à Procuradoria-Geral da República (PGR) notícia-crime apresentada por parlamentares do PCdoB contra Jair Bolsonaro (sem partido) e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Os deputados do PCdoB acusam Bolsonaro e Pazuello de terem se omitido, mesmo sabendo com antecedência que cilindros de oxigênio iriam se esgotar na capital amazonense. Segundo a queixa, o governo federal atuou pelo agravamento da crise.

Deputados acusam Bolsonaro e Pazuello de atuarem pelo agravamento da pandemia de Covid-19 no Amazonas e por terem se omitido diante da iminente crise de abastecimento de oxigênio para pacientes em UTIs de Manaus.

Eles afirmam que o governo federal sabia com antecedência que o insumo poderia acabar na região. O encaminhamento da notícia crime se deve ao fato de que apenas o procurador-geral da República, Augusto Aras, pode oferecer denúncia contra Bolsonaro e Pazuello por crime comum.

A PGR deve decidir agora se há elementos suficientes para abrir investigação. Mas, de acordo com recentes fatos, o procurador Augusto Aras vem esboçando reação contrária às demandas enviadas à PGR.

Em nota publicada durante a semana, Aras declarou que “o estado de calamidade pública é a antessala do estado de defesa”, tal frase foi considerada infeliz por grande parcela da opinião pública e foi vista como um aceno antidemocrático.