Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
15 de junho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
Carolina Givoni – Da Revista Cenarium

MANAUS – Em novo “balão de ensaio” para mais uma candidatura majoritária ao Governo do Amazonas, Amazonino Mendes publicou nas redes sociais nessa segunda-feira, 7, um vídeo em que critica a atuação das forças policiais no Amazonas nos ataques de organizações criminosas após a morte de um líder do tráfico pela Polícia Militar (PM).

No último governo tampão (2018) em que foi derrotado nas urnas, Amazonino acumulou uma taxa de 39,5 homicídios a cada 200 mil habitantes em dois anos, de acordo com dados do Atlas da Violência, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), paralelo à contratação de uma consultoria estrangeira de R$ 5 milhões, que nunca trouxe resultados efetivos para a população.

“Como é que a cúpula das polícias e o governador não sabiam que uma operação deste porte estava sendo armada? Cadê a inteligência policial que deixei montada e operando?”, questiona Amazonino no vídeo, ao mencionar a cúpula da Secretaria de Segurança Pública (SSP). No entanto, enquanto governador, Mendes foi responsável pelo dispêndio voltado à empresa americana Giuliani Security & Safety LLC, do ex-prefeito de Nova York, Rudolph Giuliani.

Giuliani é advogado pessoal do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e já prestou consultoria para a segurança pública do Amazonas, durante a gestão de Amazonino Mendes, em 2018, mesmo período da coleta do índice de violência levantado pelo Ipea.

Sem novidades

A consultoria resultou em um levantamento sobre a violência no Estado, que de acordo com o atual governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), os dados obtidos nos relatórios não foram utilizados por não apresentar novidades.

“É hora de reagir. É hora de sabermos o que foi feito da nossa inteligência policial que eu deixei montada e funcionando, que reduziu a criminalidade em 12% em pouco mais de um ano do meu curto governo”, disse em um trecho da publicação.

Inconsistências

Ao contrário do apontado, durante o mandato de Amazonino, nos anos de 2017 e 2018 foram acumulados 3.216 mil homicídios, contra 1.969 mil ocorrências de homicídios já no mandato de Lima, nos anos de 2019 e 2020, uma redução de 38%.

O levantamento do Ipea também destaca quem em 2018, o Amazonas detinha 37,8 homicídios para cada 100 mil habitantes. Em comparação com outros Estados da região da Amazônia Legal, o Estado amazonense liderou o índice de criminalidade frente ao Maranhão (28,2), Mato Grosso (28,7), Rondônia (27,1) e Tocantins (36,7). O índice da violência no Estado também foi superior ao do Brasil no mesmo período com 27,8 homicídios a cada 100 mil habitantes.

Vídeo