Deputado do AM usava email com a palavra ‘canalha’ em esquema de corrupção, diz Folha

Da Revista Cenarium*

MANAUS – O deputado bolsonarista Delegado Pablo (PSL-AM), acusado pela Polícia Federal de ter usado familiares como “laranjas” em esquemas de corrupção, lavagem de dinheiro e crime contra a ordem tributária, teria comandado as negociações a partir do email [email protected] As informações foram publicadas na Coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, nesta segunda-feira.

O jornal relembrou que o irmão e a mãe do parlamentar respondiam, segundo a PF, por uma empresa de mudas que recebeu R$ 1,2 milhão do consórcio Engevix-Encalso-Kallas, responsável pela reforma do aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus.

O colunista cita ainda que o contrato foi assinado na época em que Pablo era coordenador de segurança em ‘Grandes Eventos’, em 2012.

De acordo com o jornal, com base na investigação, interrogado pela Polícia Federal, o irmão do delegado não informou o endereço da empresa e repassou informações que não coincidiam com o verdadeiro endereço da empresa. O parlamentar tem negado irregularidades.

Pablo Oliva Souza [ou Delegado Pablo], foi eleito deputado federal pelo Amazonas, em 2018, com 151.649 votos. Em maio deste ano, o parlamentar foi alvo da Operação Seronato, deflagrada pela Polícia Federal (PF), que investiga possíveis práticas de crimes como corrupção passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

Veja mais: Delegado Pablo é alvo da PF por crimes de corrupção, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro no AM

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO