Deputados do AM voltam a trocar insultos em sessão plenária: ‘Não fiquei fazendo teatro como o senhor’

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS — Os deputados estaduais Delegado Péricles (PSL) e Wilker Barreto (Sem partido) voltaram a protagonizar uma nova discussão acalorada, nesta quinta-feira, 16, e trocaram insultos durante a última sessão plenária de 2021 da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). A pauta da divergência foi a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Asfixia, que investiga irregularidades durante a segunda onda da pandemia de Covid-19, mas que ainda não conseguiu as assinaturas necessárias para ser instalada.

Os parlamentares vêm se desentendendo desde quarta-feira, 15, após o delegado pedir vista de um projeto de interesse de Wilker. Nesta quinta-feira, 16, contudo, a troca de farpas foi marcada por insultos e acusações de omissão. Na ocasião, Delegado Péricles, autor da CPI da Asfixia, foi cobrado por Wilker pelas investigações da comissão e acusado de ser omisso no papel de investigar.

Por outro lado, Péricles voltou a citar que Wilker defende as causas do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), ao lembrar que o colega de parlamento votou de forma favorável ao projeto de lei que autoriza a Corte de Contas de realizar a limpeza e a construção de um muro no valor de R$ 1 milhão no terreno anexo do prédio do TCE, sem passar pela Aleam.

“O que aconteceu no projeto de lei do muro que Vossa Excelência quis votar na íntegra é que estava errado. Inclusive, o artigo terceiro desse projeto tratava de liberar crédito suplementar livre, sem passar por esta Casa, e isto é errado e não podemos permitir. Quando falei que Vossa Senhoria defende o TCE é nesse aspecto, quando não deveria”, esclareceu Péricles.

Interesse político

Os parlamentares intensificaram o bate-boca quando Wilker Barreto refutou o delegado sobre a atuação dele durante o ano legislativo. “Quantas vezes Vossa Excelência subiu nesta tribuna para cobrar o governo?”, questionou Wilker. Em resposta, Péricles disse “várias vezes”, garantiu que os trabalhos realizados por ele “deram resultados” e afirmou que Barreto tem interesses políticos na CPI da Asfixia.

“Eu não vou atacar os colegas o tempo todo como Vossa Excelência faz. Eu sou autor da CPI da Asfixia e fica a liberdade para que cada colega assine ou não. Eu já cobrei várias vezes [a assinatura], agora não vou ficar insistindo para lhe favorecer, porque você tem interesses de grupos políticos, e esses grupos políticos nem lhe querem por perto. E eu não vou fazer essa ficela que o senhor sempre faz. Para cima de mim, não, deputado”, rebateu Péricles, ao lembrar que Wilker Barreto faz parte do grupo político liderado pelo ex-governador Amazonino Mendes, o qual foi vice na chapa derrotada para Prefeitura de Manaus, nas eleições de 2020.

Teatro

A discussão entre os políticos continuou com Wilker cobrando Péricles, novamente, de estar presente na Assembleia Legislativa trabalhando em cima das investigações da CPI da Asfixia. “Vossa Excelência tinha que estar aqui, cotidianamente, cobrando desta Casa providências”, disparou Wilker.

Péricles rebateu: “Eu estava investigando, enquanto Vossa Excelência fazia ficela”

Wilker repeliu: “Vossa Excelência não trabalhou mais na CPI do que eu trabalhei”

Péricles devolveu: “Vossa Excelência só fazia ficela e teatro. Só fazia teatro!”

Neste momento, o bate-boca entre os deputados foi interrompida pelo presidente da Aleam, Roberto Cidade (PV), que cortou o som dos microfones de Wilker e Péricles. Cidade, no entanto, concedeu mais cinco minutos de fala para os parlamentares, que voltaram a acirrar os ânimos e debater em tom mais alto. Após falta de postura dos deputados, o áudio foi cortado novamente. Assista ao vídeo:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO