Em Manaus, desabrigados recebem comida e assistência em meio à Covid-19

Nícolas Marreco – Da Revista Cenarium

MANAUS – Em pleno isolamento coletivo, mendigos, pedintes e pessoas sem moradia estão recebendo auxílios de atores do poder público e de iniciativas sem fins lucrativos. Em Manaus, aproximadamente 1.200 pessoas em situação de rua recebem almoço por dia, conforme informou a prefeitura. Para abrigo temporário, uma base de apoio foi montada na Arena Amadeu Teixeira, na Avenida Constantino Nery, zona Centro-Sul.

Em parceria conjunta com órgãos da rede pública de assistência social e instituições como igrejas, o governo do estado acolheu 62 pessoas até o início da semana. O local foi montado com base nas orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde.

Mais de 1.769 cafés da manhã, 2.526 almoços e 2.634 jantares foram entregues, conforme a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas).

 Somente grupos de risco como grávidas, idosos, hipertensos e diabéticos podem dormir no local. Algumas pessoas foram mantidas em isolamento, inclusive, após apresentarem sintomas brandos de resfriado ou gripe. Médicos da rede pública fazem o acompanhamento semanal com o grupo.

Fora os trabalhos do Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua (Centro Pop) e no Serviço de Acolhimento Institucional Amine Daou Lindoso (SAI), o Centro de Convivência Estadual do Idoso (Ceci), no bairro Aparecida, Zona Sul, também está direcionando atendimentos prevenção e assistencialismo social.

Voluntariado

Para além de trabalhos centralizados, grupos como o Mudadores de Rua, existente desde 2015, contribuem para a diminuição da miséria em tempos de pandemia. O fundador Magno Correia explicou que as atividades irão ocorrer em subgrupos coordenados para evitar aglomerações.

“Fazemos uma ação coletiva por mês, simultâneos em vários pontos da cidade. Para a pandemia, entregamos sabonete líquido e papel toalha”, explicou.

Com uma equipe de 580 pessoas, o grupo se prepara para lançar o projeto Apadrinhadores de Rua. A ideia é tomar, de forma individual ou nos subgrupos já existentes, iniciativas para acolher pessoas sem condições básicas de vida, e expostas ao risco do coronavírus. Cada um será responsável por arrecadar os próprios recursos, explica Correia.

“Vou ajudar, por exemplo, uma família que mora perto do meu bairro comprando cesta básicas de um empreendedor que também está com dificuldades na crise, e doar os itens. Outros vão ajudar diretamente os institutos de caridade. Organizamos as ações e publicamos nas redes sociais, assim outros pegam a ideia”, contou.

O sentido é formar uma corrente solidária para amenizar ao máximo os riscos de contaminação dessas pessoas e proporcionar dignidade aos desalentados. Em datas como Dia das Crianças, o grupo chegou a alcançar quase 6 mil pessoas com doações. Quem quiser sugerir também pessoas para receberem ajuda pode contatar o grupo nas redes sociais procurando por Mudadores de Rua ou no número (92) 98455-2222.

Semana Santa

O Governo fez hoje nesta Sexta-Feira Santa a entrega de aproximadamente 86 toneladas de frutas e 70 toneladas de peixes a 150 instituições filantrópicas e entidades voltadas ao público vulnerável em Manaus. A estimativa é de que 7 mil pessoas cadastradas na Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) recebam as doações.

Os itens alimentícios partem da compra de produtores rurais vinculados à Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS) e de doações avulsas. Para conseguir acesso aos alimentos é preciso fazer um cadastro no link https://bit.ly/2ViXU0X para informar o CNPJ da instituição (caso tenha), Carteira de Identidade, CPF do representante lega e em qual município do estado atua, entre outras informações.

Doações de cestas básicas, roupas e produtos de higiene podem ser realizadas de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, em três pontos de Manaus: na sede da Sejusc, localizada na rua Salvador, 456, no bairro Adrianópolis, zona Centro-Sul; no Teatro Amazonas, situado no Largo de São Sebastião, Centro, e na sede da Seas, na avenida Darcy Vargas, 77, Chapada, também zona Centro-Sul.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO