Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
21 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações do Último Segundo

SÃO PAULO – O desmatamento na Amazônia em 2020 foi o pior registrado nos últimos 12 anos e os dados para este ano não apontam uma redução significativa no desflorestamento. Através do Deter, seu sistema de alerta de desmatamento, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) projeta que 2021 poderá ter o segundo pior registro desde o início da série histórica. As informações são do Poder360.

De agosto de 2020 a julho de 2021, foram registrados 8.793 km² de área desmatada em território amazônico. No último ano, o total de área desflorestada chegou a 10.851 km². Ou seja, há a expectativa de que este seja o segundo pior resultado desde 2015.

Cláudio Almeida, coordenador no Inpe do Programa de Monitoramento da Amazônia e demais Biomas, explica que o sistema Deter – considerado uma prévia do dado oficial, o Prodes – registrou “uma baixa discreta [4,6%], não dá nem para cravar que o valor oficial do Prodes será menor que o valor do ano passado, que foi recorde. O que deve acontecer é um valor muito próximo de 2020”.

Os dados divulgados pelo Deter são divugados mensalmente e, por isso, auxiliam o governo a moldar as políticas públicas no combate ao desmatamento. O Prodes possui uma publicação única e tem a sua divulgação realizada de maneira anual, em novembro.