28 de outubro de 2020

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC

Náferson Cruz – Revista Cenarium

MANAUS – Cumprindo agenda em Manaus nesta quinta-feira, 24, para o lançamento da nova edição do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, disse que o Brasil “é um dos maiores produtores de alimento do mundo com menor uso de defensivos nas lavouras e com baixa agressão à atmosfera e ao meio ambiente”.

Entretanto, a declaração do representante de Jair Bolsonaro reflete a falta de sintonia entre os ministérios do governo federal. O discurso de Lorenzoni destoa das determinações, recentemente, estabelecidas pelo Ministério da Agricultura. Na quarta-feira, 23, o Ministério da Agricultura publicou a liberação de mais 31 agrotóxicos genéricos para o uso dos agricultores. Até agora, são 315 novas autorizações publicadas apenas em 2020, número bastante expressivo, diante da colocação de Lorenzoni.

Do total, segundo o ministério, são 27 pesticidas químicos e 4 biológicos, que são aqueles que podem ser utilizados tanto em lavouras quanto na produção de alimentos orgânicos, por exemplo.

Onyx Lorenzoni, também ressaltou que o País é um dos maiores produtores de alimento do mundo e que enfrenta um mercado internacional bastante competitivo. Entretanto, ele alfineta a imprensa brasileira por reverberar notícias que desqualificam o mercado brasileiro no exterior.

“Como é que barra esse mercado? Como é que segura este País que produz e vende para o mundo todo? Mentindo contra a gente e, lamentavelmente, dentro do Brasil, uma parcela da imprensa que não presta essa realidade, referenda a mentira dos outros”, disse Lorenzoni.

O ministro finalizou a coletiva de imprensa ressaltando a importância da política fundiária para o País.

Leia mais: Ministro da Cidadania defende regularização fundiária: ‘É vital para que Amazônia possa trabalhar em paz’

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.