Discurso golpista para manifestação de 7 de setembro será teste de força ou fraqueza de Bolsonaro

Foi ideia do próprio presidente Jair Bolsonaro usar seu discurso na convenção do PL para conclamar a população a participar de uma grande manifestação no dia 7 de setembro. Com isso, na avaliação de um interlocutor do presidente, Bolsonaro antecipou em 25 dias o dia da eleição. Essa estratégia foi considerada arriscada e deixa o presidente e seus apoiadores na obrigação de colocar nas ruas muito mais gente do que colocou no ano passado. Segundo essa fonte, se a manifestação deste 7 de setembro for igual a do ano passado, será ruim para o presidente porque não terá conseguido agregar mais apoiadores passado um ano.

Estratégia arriscada

Mas, se for maior, beleza. Mas é grande o risco de o tiro pode sair pela culatra. Apesar de haver quem considere que o presidente marcou um “plebiscito” para seu governo na antevéspera das eleições, há preocupações sobre qual será o seu resultado. Bolsonaro e seu entorno apostam no sucesso da estratégia. Mas há quem observe que este dia será um teste de força ou fraqueza de Bolsonaro.

Republicanos escanteado

Mesmo escanteando o Partido Republicanos do comando da campanha e a ex-ministra Damares da chapa do DF, Bolsonaro quer fazer acenos públicos de apoio ao partido. O primeiro deles é a sua presença, neste sábado, 30, na convenção nacional do Republicanos em São Paulo, quando o ex-ministro Tarcísio de Freitas será aclamado candidato ao governo do Estado. Será a oportunidade que o presidente do Republicanos, Marcos Pereira, pretende ter para conversar com Bolsonaro, apresentar as suas queixas e manifestar suas mágoas. Bolsonaro, no entanto, tentará colocar panos quentes nas conversas no próximo fim de semana.

PT e o Auxílio de R$ 600

Deputados e senadores do PT discutem a ideia de aprovar na lei orçamentária de 2023 o valor de R$ 600 mensais para os beneficiários do Auxílio Brasil. A informação é do líder do partido na Comissão Mista de Orçamento, deputado Enio Verri (PT-PR). O ex-presidente Lula disse, em recente entrevista ao Correio Braziliense, que o benefício tem de ser mantido em R$ 600. O presidente Jair Bolsonaro prometeu no lançamento oficial de sua candidatura pelo PL que R$ 600 não ficariam restritos a este segundo semestre, de acordo com o aprovado pelo Congresso na Emenda Constitucional 123.

Fachin e a crise do MDB

Ao não acatar o pedido do senador Renan Calheiros (MDB-AL) para derrubar a convenção do MDB que, nesta quarta-feira, 27, deverá apontar Simone Tebet (MS) como pré-candidata à Presidência pela sigla, o ministro do STF, Edson Fachin, quis mandar dois recados ao mundo político. Que o Supremo Tribunal Federal pretende interferir menos nos assuntos do Congresso e, por consequência, nas decisões internas dos partidos. Além disso, melar a convenção do MDB ajudaria Lula. É uma tentativa de mostrar que os chefes do Judiciário não perseguem Jair Bolsonaro, e estão simplesmente atuando em cima de mal feitos, o que dificilmente irá convencer o núcleo duro do bolsonarismo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO