3 de março de 2021

This post is also available in (Post também disponível em): English (Inglês)

Mencius Melo – Da Revista Cenarium

MANAUS – No próximo domingo, 31, estreia o documentário ‘A Música de Beiradão e o Diálogo de Gerações’ a partir das 17h, em Manaus, pelo canal Orquestra de Beiradão do Amazonas (OBA) no YouTube. A produção foi contemplada pela Lei Aldir Blanc, por meio do Prêmio Conexões Culturais da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

Um naipe poderoso de instrumentos de sopro da OBA garante a autenticidade da pegada do Beiradão (Divulgação/OBA)

De acordo com o músico fundador da OBA, Ênio Prieto, a ideia é revalorizar um gênero que nasceu nas barrancas dos rios. “Acredito que o documentário seja a retribuição ao mestre Teixeira de Manaus, que fez muito pelas nossas produções musicais instrumentais no passado. É a música de Beiradão inserida no contexto da música instrumental do Amazonas”, disse.

O músico afirmou que em dois meses o trabalho de reposicionamento histórico ficou pronto. “Começamos uma grande agenda de compromissos com os músicos da orquestra, produção, roteiristas e técnicos de som. Além de editores de vídeo e entrevistados, pois tínhamos apenas dois meses para deixar tudo pronto”, sintetizou Ênio.

Revalorização

Ênio Prieto, ao contrário do que se possa imaginar, diz que o documentário não é um resgate. “Evito a palavra ‘resgate’, pois pesquisas como a do doutor em etnomusicologia, Rafael Branquinho, dissertam que a música não deixou de existir. Principalmente nas festas do interior que têm diversos solistas de saxofone animando as sedes do beiradão”, destacou Pietro.

Mestre Ênio Prieto, maestro e entusiasta do Beiradão como herança musical das barrancas do Amazonas. (Reprodução/Divulgação)

“Neste momento, apenas Teixeira de Manaus será homenageado, nossa inspiração e padrinho musical. Gostaríamos de abordar outros grandes solistas de saxofone do Amazonas, porém seria um projeto muito abrangente por conta da produção e logística”, adiantou.

Para Ênio Pietro, o documentário é mais um esteio na sustentação da cultura musical. “Ele ficará para futuras produções musicais e para as pesquisas acadêmicas, um dos meus maiores sonhos de legado no projeto da OBA. Assim como grandes músicos do Beiradão, gostaríamos de deixar nossos contributos para a música instrumental amazonense também”.

História do ‘Beiradão’

Segundo pesquisas, o Beiradão tem origem na década de 1980. Teixeira de Manaus é o maior expoente, foi descoberto pelo paraense Pinduca em 1979. Teixeira misturou ritmos como cúmbia, merengue, samba e até valsa. As obras eram executadas no saxofone de forma solada, acompanhado de uma banda. 

O seminal Teixeira de Manaus, lendário músico do Amazonas que sintetizou influências e transformou o Beiradão em referência de musicalidade do norte brasileiro (Reprodução/Internet)

A OBA

A Orquestra de Beiradão do Amazonas (OBA) surgiu em março de 2013, pelas mãos do músico e band leader, Ênio Pietro. Um apaixonado pelo ritmo e pela história do Beiradão, considera que o estilo pode ser comparado ao jazz pela possibilidade de recursos “principalmente por conta da improvisação, principal característica do jazz”, observou.