Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
22 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – “Nosso trabalho que não é levado a sério e não é considerado algo profissional, é dificultoso”, relata a drag queen Aurora Boreal, durante participação no programa “Cenarium Entrevista” que vai ao ar nesta terça-feira, 11, às 21h, nas redes sociais (FacebookYouTube e Instagram) e no site da Revista Cenarium. Aurora, além de ser artista local independente, também é produtora audiovisual e ativista em causas LGBTQIA+.

Dentre vários assuntos abordados no programa, comando pela jornalista Andréa Vieira, Aurora conta um pouco da sua trajetória desde quando iniciou com o “Vlogay”, o primeiro vlog da região Norte voltado a temas LGBTs, até o mais recente trabalho desenvolvido voltado para música, onde a drag queen amazonense gravou um videoclipe intitulado como: “Sou forte, sou do Norte”.

No clipe, mulheres como Rosa Malagueta, a conhecida “Tia da Trufa” (que vende trufas nos arredores da Universidade Federal do Amazonas), a apresentadora Vivi Cariolano e a cantora Márcia Novo foram homenageadas no trabalho audiovisual da artista.

Drag queen amazonense Aurora Boreal (Samuelknf/Revista Cenarium)

Apoio local e pioneirismo

Outra questão levantada pela artista foi a falta de valorização dos talentos locais em qualquer gênero da arte. “Acho muito triste que exista uma cultura aqui na nossa cidade, onde ninguém leva a sério o sonho dos nossos conterrâneos. Onde a gente acredita que essas pessoas sempre vão estar estagnadas e que a gente acredita que só quem vai bombar são pessoas do eixo Rio/São Paulo”, lamenta Aurora.

Durante a entrevista, a representatividade e pioneirismo também são questões relatadas por Aurora, que atenta sobre a importância da valorização e empatia pelo próximo, além de não desistir dos próprios sonhos.

“O clipe, o Vloguei e futuramente o E.P. (primeiro de uma drag queen amazonense) significam pioneirismo. Na intenção de que outras como eu ou com outras lutas vejam a realidade de realizar os seus sonhos. Não quero ser a voz de ninguém, eu tenho minha voz e faço uso dela, para que as pessoas possam descobrir suas próprias vozes”, relata. Assista à entrevista e acompanhe mais novidades reveladas por Aurora durante o programa.

Leia também: Drag Queen amazonense, Aurora Boreal, lança clipe e exalta a cultura da região norte