Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
16 de setembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Cassandra Castro – Da Cenarium

BRASÍLIA (DF) – O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos divulgou dados mais recentes sobre casos de tráfico de pessoas no Brasil. O levantamento é referente ao período de janeiro de 2020 a junho de 2021. Foram registrados 301 casos no Disque 100. Deste total, 50,1% são crianças e adolescentes e outros 24,9%, mulheres.

O Dia Mundial de Combate ao Tráfico de Pessoas (30/07) é sempre usado para ações de conscientização da sociedade sobre o problema. De acordo com o coordenador-geral do Disque 100, Reinaldo Las Cazas, o tráfico de pessoas é tipificado em lei no Brasil desde 2016. “Ele se caracteriza como um comércio de seres humanos e acontece quando a pessoa é levada a uma situação de exploração mesmo que, de início, tenha concordado”, explica.

O gerente da pasta de Migração da Sejusc, Giovanni Miranda diz que, segundo a ONU, o tráfico de pessoas movimenta anualmente U$ 32 bilhões de dólares em todo o mundo. Desse valor, 85% provêm da exploração sexual. “Este é um crime de proporções globais e não afeta apenas as vítimas, mas também familiares e pessoas próximas”, explica Giovanni.

Manaus contou com programações alusivas à campanha Coração Azul, símbolo do enfrentamento ao tráfico de pessoas, com apresentações no Teatro Amazonas (Raine Luiz / Sejusc)

A secretária Nacional de Proteção Global do MMFDH, Mariana Neris, complementa a explicação sobre o que configura o crime de tráfico humano: “O tráfico de pessoas acontece quando há ameaça, engano ou abuso em uma situação de vulnerabilidade da vítima, com a finalidade de exploração em trabalho análogo ao de escravo, servidão, exploração sexual, adoção ilegal ou remoção de órgãos”.

Artistas interpretam personagens vítimas do tráfico humano (Raine Luiz / Sejusc)

Em várias cidades brasileiras foram realizadas programações alusivas à campanha Coração Azul que é o símbolo do enfrentamento ao tráfico de pessoas. Em Manaus, a programação da Oitava Semana Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas foi realizado pela Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc).

Alguns sinais de que pessoas estão sendo vítimas de tráfico são: ter um passaporte ou documento de viagem na mão de terceiros; não conhecer o endereço da casa para onde vai ou do local de trabalho e são privadas de entrar em contato com familiares e amigos. No encerramento da campanha em Manaus, o Teatro Amazonas, um dos maiores símbolos do Estado, foi iluminado em tons de azul.