Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
6 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – Entidades e movimentos sociais repudiaram, nesta quarta-feira, 21, o projeto de lei da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) que concede o título de Cidadão Amazonense ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pelos serviços prestados ao Estado. A honraria foi aprovada nessa terça-feira, 20, pela maioria dos votos dos deputados estaduais da Casa Legislativa.

Em nota conjunta, movimentos sociais lembram da crise instalada pela Covid-19, que sofreu com a falta de oxigênio e de leitos clínicos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) durante a segunda onda da Covid-19, cujo pico de casos e mortes ocorreu nos meses de janeiro e fevereiro deste ano no Amazonas.

“O Brasil todo acompanhou a tragédia vivenciada pelos amazonenses, sem oxigênio, sem UTI, sendo tratados com remédios sem eficácia científica, sofrendo com o descaso do governo federal e provocando uma tragédia que poderia ter sido evitada”, diz trecho da nota dos movimentos sociais do Amazonas.

A nota é assinada por 39 entidades, partidos e personalidades políticas do Estado, como PT, PCdoB, Psol, Movimento de Mulheres Negras da Floresta – Dandara, Rede Nacional de Mulheres no Combate à Violência, Articulação Amazônica dos Povos e Comunidades Tradicionais de Terreiro de Matriz Africana (Aratrama), entre outros.

No documento, o movimento afirma que conceder o título ao presidente é uma afronta à sociedade e significa desconsiderar o sofrimento de mais de doze mil famílias do Amazonas e de trezentas e setenta e duas mil famílias de todo o Brasil.

“Os deputados erraram feio na concessão do título de Bolsonaro. Ele não pode receber, porque ele está em mandato como presidente da República e ele não fez nada de relevante, inclusive, na justificativa do deputado Péricles não tem nada de relevante”, disse o Pai Alberto Jorge, representante da Articulação Amazônica dos Povos e Comunidades Tradicionais de Terreiro de Matriz Africana (Aratrama).

Repugnante

A Executiva Estadual da Rede Sustentabilidade no Amazonas também se pronunciou nesta quarta-feira, 21, contra o título. Em nota de repúdio, a entidade lembrou do agravamento da Covid-19 no Amazonas, quando centenas de vidas foram perdidas em meio à falta de políticas públicas do governo federal com a saúde.

Para a entidade, Bolsonaro promoveu atritos sociais e jogou contra a política de saúde incentivando o povo a não usar máscara, a promover aglomeração, a usar medicamentos de eficácia não comprovada. “A todo momento atenta contra Zona Franca de Manaus, como aconteceu com as fábricas de concentrados, causando desemprego em massa”, diz a entidade, na nota.

“É repugnante, inadmissível e vergonhoso que os deputados e deputadas do Amazonas estejam preocupados com os louros orçamentários que a caneta presidencial pode lhes dar de olho nas próximas eleições e virarem as costas para todas as famílias amazonenses que perderam uma pessoa querida durante a irresponsável condução da pandemia pelo presidente da República”, conclui a executiva.

Nas redes sociais, internautas levantaram a hashtag #Bolsonaroamazonensenemcomnojo (Bolsonaro amazonense nem com nojo), uma referência ao linguajar amazonense. “Títulos deveriam ser entregues a quem arriscou a própria vida para salvar outras vidas! Não quem foi negligente, negacionista, sem respeito a dor alheia”, disse Bete Maciel, porta-voz da Rede Sustentabilidade no Amazonas.

Projeto de Lei (PL 187/2021)

O Projeto de Lei (PL 187/2021), de autoria do deputado estadual delegado Péricles (PSL), foi aprovado nessa terça-feira, 20, pela Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), com apenas um voto contra e uma abstenção. Uma das normas para concessão do título, de acordo com a resolução legislativa nº 71, de 10 de dezembro de 1997, é a prestação de relevantes serviços ao Estado, em qualquer campo de atividade, pessoal e indiretamente.

Como justificativa para o projeto, Péricles disse nessa terça-feira, 20, que o Amazonas tem muito o que agradecer ao presidente e destacou a compra de vacinas ao destacar o motivo da homenagem ao presidente. “O governo federal vem fazendo a sua parte e continua distribuindo vacinas para o Estado”, esclareceu Péricles.

A medida, no entanto, dividiu opiniões entre parlamentares federais e estaduais do Estado. O deputado federal do Partido dos Trabalhadores (PT), José Ricardo, disse à REVISTA CENARIUM que a honraria concedida ao presidente é um absurdo e uma afronta ao povo amazonense. Já o deputado federal Bosco Saraiva (Solidariedade/AM) salientou que Bolsonaro é merecedor do título, mas que espera que o presidente ajude a preservar a Zona Franca de Manaus com a homenagem.

Confira as notas de repúdio: