‘É uma decisão política’, afirma Marcelo Ramos sobre decisão que o destituiu da vice-presidência da Câmara

Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – “Não abordarei temas regimentais ou jurídicos porque a decisão do presidente da Câmara não regimentável ou jurídica, é uma decisão política. E, sobre ela, quero dizer que jamais me sujeitaria a indecorosa proposta de me calar em relação aos ataques que o presidente Bolsonaro tem feito à Zona Franca de Manaus para permanecer tranquilamente na presidência da Casa”. A declaração é do deputado, pelo Amazonas, Marcelo Ramos (PSD), após ser destituído do cargo de vice-presidente da Câmara dos Deputados na tarde desta segunda-feira, 23.

Por meio de um vídeo divulgado pela assessoria de Marcelo Ramos, o parlamentar classifica como “extremamente sensível”, no ponto de vista democrático, o presidente da república pedir a destituição de um vice-presidente da Câmara, durante uma live, e afirma que “os empregos dos amazonenses, as escolas, a Universidade do Estado do Amazonas, os recursos destinados ao interior do Estado, não cabem à vice-presidência da Casa“.

Ramos ressalta, ainda, que não será o responsável por expor a Casa Legislativa e que não fará do episódio uma guerra, mantendo dentre os principais objetivos a defesa da Zona Franca de Manaus. “Minhas energias continuarão sendo utilizadas para defender a Zona Franca de Manaus, para defender os 19 milhões de brasileiros que passam fome e os 13 milhões de brasileiros desempregados, a inflação que descontrola o preço da gasolina, do gás de cozinha e da energia“, frisa Marcelo Ramos.

Deputado Marcelo Ramos (PSD) (Reprodução/Divulgação)

Destituição

A decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), reveste a liminar que havia concedido a favor de Marcelo Ramos, no último mês de abril. A liminar impedia a pressão feita pelo ex-partido de Ramos, o PL, de atuar para a retirada vice-presidência da Câmara.

A saída do deputado ocorreu em dezembro do ano passado, quando o partido anunciou a filiação do presidente Jair Bolsonaro. Ramos, então, se filou ao Partido Social Democrático (PSD). Vale lembrar que o deputado é opositor e crítico do atual governo federal.

Volto para o meu gabinete no 8° andar, e volto para o plenário da Câmara para lutar pelos interesses maiores da nossa gente. Eu não fui eleito para ser vice-presidente, eu fui eleito para defender os interesses dos amazonenses e do povo brasileiro e, assim, vou seguir”, finaliza.

Veja vídeo:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO