3 de março de 2021

Com informações do G1

MANAUS – O governo de São Paulo suspendeu o envio de 50 mil doses da vacina CoronaVac contra a Covid-19 que seriam doadas para o Estado do Amazonas. A suspensão foi confirmada pelo governo do Estado ao G1 e ocorreu, segundo a administração estadual, temporariamente, por falta de “planejamento” e “controle” da vacinação.

A administração paulista diz que aguarda apresentação do cronograma de imunização do Estado para doar as doses, mas a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) afirmou “que ainda não recebeu nenhuma solicitação de esclarecimentos, acerca do cronograma estadual de imunização do Amazonas, por parte do governo de São Paulo”.

Em 17 de janeiro, o governador João Doria (PSDB) anunciou que doaria as doses da Coronavac para que profissionais de saúde do Amazonas fossem vacinados independentemente da cota reservada ao Estado no Plano Nacional de Imunização (PNI). Segundo Doria anunciou naquele dia, a quantidade seria levada de avião no dia 18 de janeiro.

Em 21 de janeiro, a vacinação contra o coronavírus foi suspensa temporariamente em Manaus, após a Justiça decidir que pessoas que furaram a fila não teriam direito à segunda dose do imunizante. A vacinação na capital do Amazonas ficou suspensa só por dois dias.

“Conforme compromisso do governador João Doria, o Estado de São Paulo coloca à disposição 50 mil doses da vacina ao Estado do Amazonas. Diante de fatos reconhecidamente públicos e de até mesmo suspensão pela própria Justiça da imunização naquele Estado devido à falta de planejamento e controle, São Paulo suspendeu o envio de imediato e aguarda a manifestação e apresentação de cronograma estadual de imunização do Amazonas”, disse em nota o governo de São Paulo.

Com o aumento recorde de internações por Covid-19 em janeiro, Manaus passou a enfrentar colapso no sistema de saúde por conta da falta de oxigênio nos hospitais, com a transferência de pacientes para vários Estados. São Paulo também teve um acréscimo de 136%, em janeiro de 2021, no número de pacientes procedentes de Manaus que procuraram atendimento.

Doria manteve, porém, a promessa de enviar as 50 mil doses prometidas se o serviço for restabelecido com rigor e após a apresentação do cronograma de imunização no estado.

Segundo o governo do Amazonas, nenhum pedido foi feito e a imunização segue todos os protocolos exigidos pelo Ministério da Saúde. Para a FVS-AM, as doses que serão doadas ao Estado ainda vão ser produzidas com os cerca de 5 mil litros que chegaram nesta quarta-feira, 10.

De acordo com governo de São Paulo, não necessariamente as doses que serão doadas serão produzidas a partir desses insumos.

Veja nota completa do governo do Amazonas

“A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) informa que ainda não recebeu nenhuma solicitação de esclarecimentos, acerca do cronograma estadual de imunização do Amazonas, por parte do Governo de São Paulo.

É importante ressaltar que as 50 mil doses que serão destinadas ao Amazonas estão em fase de produção, após a chegada ao Brasil de um avião com 5,4 mil litros de insumos para a produção do imunizante pelo Instituto Butantan.

A vacinação no Amazonas segue todos os protocolos exigidos pelo Ministério da Saúde (MS). O Estado ocupa o primeiro lugar na cobertura vacinal do país, em ranking feito com base nas informações divulgadas pelo consórcio de imprensa.

A FVS-AM acrescenta que o Governo do Amazonas está trabalhando para imunizar o máximo de pessoas possíveis, seguindo o cronograma de grupos prioritários definidos pelo MS. No domingo, 7, o Amazonas recebeu 96.200 doses da vacina contra Covid-19 CoronaVac. Essa última remessa deve imunizar todos os profissionais de saúde e idosos acima de 70 anos contra a Covid-19, tanto da capital quanto do interior”.