31 de outubro de 2020

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC

Da Revista Cenarium*

MANAUS – Os elefantes encontrados mortos em Botsuana, na região do delta do rio Okavango, na África, foram vítimas de uma cianobactéria produtora de neurotoxinas, conforme anunciou nesta segunda-feira, 21, o governo do País africano.

De acordo com o UOL, desde março deste ano, mais de 300 elefantes mortos já foram encontrados no local. Segundo o governo, exames feitos a partir de amostras de sangue dos animais constataram a causa da mortalidade.

“As mortes ocorreram por envenenamento devido a uma cianobactéria que se desenvolveu em pontos de água”, disse Mmadi Reuben, veterinária do Ministério da Vida Selvagem e Parques Nacionais.

A cianobactéria são micro-organismos procariontes capazes de realizar fotossíntese e costuma viver na água. Segundo Reuben, as mortes dos animais paralisaram no final de junho, quando a água de tanques de abastecimento da região começou a secar.

O G1 apurou que o governo chegou a trabalhar com a hipótese de caça ou mesmo morte por envenenamento, mas descartou ambas as possibilidades. O País africano registra, atualmente, 130 mil elefantes em liberdade, um terço do número de exemplares da espécie em toda a África. Botsuana afirmou que continuará com a investigação sobre a cianobactéria.

(*) Com informações do G1 e UOL

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.