Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
23 de junho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
Com informações de O Globo

ESTADOS UNIDOS – Nos últimos dez anos, o mundo ganhou quase 2,1 bilhões de hectares de regiões protegidas para a biodiversidade. Trata-se de uma área maior do que a Rússia. O esforço global foi uma exigência das Metas de Aichi, assinadas em 2010, após o alerta de que o planeta seguia rumo ao colapso — caso não investisse em conservação, a humanidade seria responsável por tragédias como a falência de biomas, a extinção em massa de espécies, a aceleração das mudanças climáticas e o avanço da miséria e da fome.

O desempenho global, no entanto, foi considerado insuficiente: um terço das áreas terrestres e marinhas essenciais para a biodiversidade ainda carece completamente de proteção. Hoje, Dia Mundial do Meio Ambiente, a ONU inaugura a Década de Restauração de Ecossistemas 2021-2030 com a expectativa de que, ao fim de dez anos, sejam restaurados pelo menos um bilhão de hectares de terra destruída no mundo, o equivalente ao território da China.

Mais de 40% de toda a área preservada do planeta foi adicionada na última década, principalmente no mar. Mas sabemos que há muito a ser feito, inclusive melhorar sua manutenção — explica Neville Ash, diretor do Centro de Monitoramento da Conservação Mundial do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.

A ONU destaca alguns exemplos de sucesso na última década, como a Grande Barreira de Corais na Austrália e o Parque Tun Mustapha, na Malásia, que tiveram um planejamento sistemático de proteção. Na Oceania, territórios foram recuperados pelo povos indígenas, que no mundo todo são responsáveis pela conservação da biodiversidade.

Gerente de Ciências da ONG WWF-Brasil, Mariana Napolitano destaca que 80% da área terrestre do planeta estão fora de áreas protegidas. Portanto, as políticas sustentáveis nas zonas conservadas não são suficientes para garantir o equilíbrio ambiental:

— O trabalho não deve ser restrito às unidades de conservação. Precisamos assegurar que todo o sistema produtivo mundial seja sustentável, sem emissão de poluentes.