Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Com informações da assessoria

MANAUS – Durante eleição realizada nesta sexta-feira, 3, na sede da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), o defensor público geral, Ricardo Paiva, foi aclamado pelos colegas para seguir à frente da função por mais dois anos de mandato. Paiva assumiu o comando da instituição em março do ano passado. Candidato à reeleição para o biênio 2022-2024, ele não teve concorrentes.

De 104 votantes, Ricardo Paiva recebeu 90 votos. O nome dele ainda vai à sanção do governador do Estado. O resultado do pleito deve ser encaminhado ao governo, na próxima segunda-feira, 6.

Durante todo o dia, defensoras e defensores públicos estaduais foram à urna para a escolha do gestor máximo e dos representantes do Conselho Superior da instituição. A eleição aconteceu na Sede Administrativa da DPE-AM, situada na Avenida André Araújo, Zona Centro-Sul de Manaus.

Paiva está na Defensoria Pública do Estado desde 2002, quando ingressou como estagiário. Ele trabalhou ainda como assessor jurídico, em cargo de provimento em comissão, antes de ser empossado defensor público em 2005, após aprovação em concurso. Como defensor, Paiva atuou no interior do Amazonas e na área Cível, em Manaus. Em 2013, começou a assumir postos na administração da Defensoria, sendo eleito defensor público geral, pela primeira vez, no final de 2019. Em março de 2020, assumiu o posto.

“Recebo, com muita honra, a aclamação pelos membros da Defensoria. Tive a missão de conduzir a instituição em um dos períodos mais difíceis da nossa história. Ainda assim, conseguimos avanços, como a construção de mais cinco polos da instituição no interior do Amazonas. Os votos recebidos hoje são sinal da confiança de defensoras e defensores públicos em nosso trabalho. Isso aumenta, ainda mais, minha responsabilidade para seguir à frente da Defensoria, buscando o melhor para membros, servidores e para os nossos assistidos”, afirmou Ricardo Paiva.

“Foram dois anos de muito trabalho e muitas dificuldades. Tivemos uma pandemia no meio do caminho. Ainda assim, a Defensoria conseguiu avançar, nesse período. Conseguimos nomear mais defensores e servidores. Aumentamos as estruturas da Defensoria para acomodar cada vez mais assistidos e, para frente, o que a gente quer é continuar esse trabalho, ter defensores em todo o interior do Amazonas, estruturar nossa carreira, construir unidades em cada um dos municípios do interior e garantir o acesso à Justiça, integralmente, a todas as pessoas que buscam os serviços da Defensoria”, disse Ricardo Paiva.

Boas-Vindas

Defensoras e defensores públicos também escolheram, hoje, os representantes do Conselho Superior da DPE-AM. Cada membro pôde votar em até oito nomes para a composição do Conselho Superior, sendo dois de cada classe funcional. Este ano, em razão de haver apenas um candidato para a 4ª classe, cada defensor e defensora votou em até três candidatos da 2ª ou da 3ª classe, já que apenas essas classes tiveram mais de dois inscritos.

O corregedor-geral da DPE-AM e presidente da Comissão Eleitoral, Marco Aurélio Martins, afirmou que as eleições na Defensoria representam a valorização dos membros da instituição. “Para uma instituição como a Defensoria Pública, ter seus membros escolhendo sua direção é, ao mesmo tempo, um poder e um dever. Essas escolhas refletem em toda a sociedade”, avaliou Marco Aurélio.

Foram eleitos para o Conselho Superior da Defensoria: Péricles Duarte, Adriana Tenuta, Danilo Germano, Larisse Silva, Messi Elmer, Theo Eduardo Costa, Inácio Navarro e Arlindo Gonçalves, que exercerão a função no biênio 2022-2023.