Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
15 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Marcela Leiros – Da Revista Cenarium

MANAUS – Após a forte chuva que atingiu Manaus na manhã desta segunda-feira, 3, 10 pessoas que estavam no Posto de Interiorização e Triagem da Operação Acolhida, na avenida Torquato Tapajós, zona Centro-Sul, ficaram feridas após o desabamento de um muro. Vídeos gravados no local – que abriga venezuelanos temporariamente e auxilia na emissão de documentos – mostraram o desespero do momento em que a água inundou o espaço e arrastou pessoas.

Os feridos foram encaminhados a unidades da saúde da capital. Oito já foram liberados e duas pessoas se mantém em atendimento. A informação sobre os atendimentos foi confirmada pelo Governo do Amazonas por meio de nota.

A base da Operação Acolhida – comandada pelo Exército Brasileiro (EB) – foi inundada após o acúmulo de água de chuva no terreno ao lado do posto e não por causa de um suposto igarapé que existe na região, conforme suspeita inicial. Com a força da água, o muro que separava os dois terrenos desabou e a água atingiu quem estava no local, conforme informou o tenente Marcelo Galeno, do Corpo de Bombeiros do Amazonas (CBAM).

“Houve suspeita de vítima soterrada, porque desabou um muro e ele caiu em cima do pessoal”, detalhou o tenente, que destacou ainda que “havia apenas um terreno aqui, que a água não tinha como escoar e acumulou”.

Posto de triagem e acolhida do Exército Brasileiro (EB) ficou destruído após inundação (Marcela Leiros/Revista Cenarium)

Atendimento e acolhida

No posto de triagem e interiorização havia cerca de 40 pessoas abrigadas, e, além dos danos estruturais, houve também perda de documentos e pertences pessoais dos imigrantes. O local terá que ser reconstruído e o atendimento está temporariamente suspenso. As pessoas abrigadas no posto foram transferidas para outros pontos de acolhida do Exército na cidade.

“O atendimento aqui vai ter que ser suspenso e não sei precisar quando vai voltar. A questão aqui não foi só pessoas, mas documentos também”, ressaltou o coronel Arnaldo do Exército.

Tenente Arnaldo do Exército Brasileiro (EB) (Marcela Leiros/Revista Cenarium)

O coronel ainda detalhou os serviços que eram prestados no Posto de Interiorização e triagem. “Aqui nós tínhamos duas situações: pessoas que vinham tirar seus documentos e apresentar demandas cartoriais e também tinha alojamento de trânsito, para quem já estava definitivamente com documento e já tinha emprego em outros lugares. O abrigamento é muito curto, no máximo uma semana. Essas pessoas já foram distribuídas em outros pontos e vamos aguardar”, disse ele.

Desespero

O momento de desespero foi registrado por pessoas que estavam no local na hora do alagamento. No vídeo, é possível ver pessoas se segurando nas grades de ferro para não serem arrastadas pela água e muitas gritam desesperadas diante da situação.

O venezuelano Alejandro Vargas estava sendo atendido no posto (Janderson Souza/Revista Cenarium)

O venezuelano Alejandro Vargas, que estava sendo atendido no local, contou mais detalhes sobre o que presenciou na hora da chuva. “De repente começou a infiltrar o muro de contenção. Foi muito difícil para gente, muita mulher gritando. Aí eu escutei aquele barulho muito forte”, disse ele, que é residente em Manaus há um ano.

A Defesa Civil Municipal esteve no local e informou que foi feita uma análise preliminar da situação. Um laudo pericial da estrutura do posto será divulgado em até uma semana.