25 de fevereiro de 2021

Luís Henrique Oliveira – Da Revista Cenarium

MANAUS – A vacinação contra Covid-19 está suspensa nesta quinta-feira, 21, em Manaus, após diversas denúncias de que pessoas estariam furando a fila, mesmo que façam parte da primeira fase de imunização, a de profissionais da saúde. Entre as pessoas que já se vacinaram está o filho do ex-deputado estadual Wanderley Dallas (Solidariedade), o médico David Dallas.

Diante das denúncias de que a fila de prioridade estaria sendo descumprida, as Defensorias Públicas do Estado e da União e os Ministérios Públicos Estadual e Federal expediram recomendação requerendo o cumprimento de critérios estabelecidos para a priorização de profissionais de saúde mais vulneráveis à Covid-19 e aos preceitos constitucionais da impessoalidade e da eficiência, sob pena de incorrer em improbidade administrativa.

As secretarias de Saúde do Amazonas e de Manaus terão até as 13h desta quinta-feira, 21, para apresentar aos órgãos de fiscalização do Estado os critérios utilizados para a definição das prioridades da vacinação dos trabalhadores de saúde e a lista dos que serão vacinados com prioridade contra a Covid-19.

Nos primeiros dois dias de vacinação na capital, 1.140 profissionais de saúde, que atuam na linha de frente no atendimento de casos suspeitos e confirmados de Covid-19, receberam a primeira dose da Coronavac. Após denúncias de ‘fura fila’, Governo e Prefeitura terão que informar critérios de prioridade e lista de vacinados.

Em material divulgado pela própria Prefeitura de Manaus, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) justifica que “eles [profissionais vacinados] integram o grupo prioritário da primeira fase da campanha de imunização contra a doença, conforme definido pelo Ministério da Saúde”.

Caso repercute na imprensa

Na noite desta terça, 19, as gêmeas Gabrielle e Isabelle Kirk Lins também publicaram fotos nas redes sociais do momento em que recebiam as doses da vacina. Elas são filhas dos donos da universidade e hospital Nilton Lins e também foram recém-nomeadas para atuar na Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Gabrielle e Isabelle Lins foram acusadas de “furar a fila” por não atuarem de fato na linha de frente nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Manaus.

Médica recém-formada postou foto do momento que recebe vacina contra Covid-19 (Reprodução/ Instagram)

A repercussão negativa que a vacinação dos profissionais de saúde recém-formados teve até mesmo em rede nacional fez com que a Prefeitura de Manaus suspendesse na noite de quarta-feira, 20, a imunização de profissionais na capital.

Após o vazamento de fotos em redes sociais dos médicas recém-nomeadas na Semsa sendo vacinados, o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), determinou a abertura de uma portaria proibindo postagens de fotos do momento da imunização, mas horas depois o presidente do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), conselheiro Mario de Mello, determinou que a Prefeitura de Manaus se abstenha de qualquer ato que proíba a realização e/ou divulgação das imagens.

Sem respostas

A reportagem tentou contato com filho do ex-deputado Wanderley Dallas, o médico David Dallas, mas, até a publicação desta matéria, não obteve respostas. O próprio ex-deputado também não atendeu aos telefonemas da reportagem para explicar sobre a vacinação do filho.

A Prefeitura de Manaus foi questionada sobre os critérios de vacinação adotados para a imunização dos médicos recém-formados e recém-nomeados na Semsa, e aguarda respostas.

Covid-19 em Manaus

De acordo com último boletim divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), divulgado nessa quarta-feira, 20, 5.009 novos casos de Covid-19, totalizando 238.980 casos da doença no Estado. Destes, 3.632 são novos casos em Manaus e 1.377 no interior.

Entre os casos confirmados de Covid-19 no Amazonas, há 1.812 pacientes internados, sendo 1.187 em leitos, 592 em UTI e 33 em sala vermelha, estrutura voltada à assistência temporária para estabilização de pacientes críticos/graves para posterior encaminhamento a outros pontos da rede de atenção à saúde.

Há ainda outros 616 pacientes internados considerados suspeitos e que aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 503 estão em leitos clínicos, 70 estão em UTI e 43 em sala vermelha.