Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
27 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Priscilla Peixoto – Da Cenarium

MANAUS – Para retirar migrantes e refugiados venezuelanos em situação de vulnerabilidade social por meio da empregabilidade e empreendedorismo, a ONG Visão Mundial – organização que atua em defesa dos direitos de crianças e adolescentes e pela proteção de populações vulneráveis – por meio do projeto “Ven, Tu Puedes”, oferece cursos de empreendedorismo para quem enfrenta dificuldades em conseguir um emprego formal.

De acordo com a assessora de educação do projeto, Natália Bessa, cursos como auxiliar de cozinha, atendimento ao cliente, técnicas em vendas e operador de caixa são qualificações tradicionais, ofertadas aos público-alvo. Porém, por questões pandêmicas, a assessora revela que foi detectado uma dificuldade a mais para estes imigrantes entrarem no mercado de trabalho, o que resultou em cursos que auxiliem no desenvolvimento do próprio negócio dos participantes do programa.

“O projeto visa ofertar formação vocacional de qualidade e por conta da pandemia verificamos essa dificuldade, por isso, desenvolvemos esses cursos como manicure e pedicure, barbearia, refrigeração e manutenção de ar-condicionado splits. Assim como de escovação, corte de cabelo, extensão de cílios e diversos outros cursos, para que de fato eles possam iniciar um empreendimento e de alguma forma sair dessa situação de vulnerabilidade”, explica Nathália.

Além das variedades de qualificações oferecidas, a integrante do projeto ressalta que os migrantes também têm direito a aulas de português para melhorar a comunicação e mais autonomia com a língua nativa brasileira. “Assim eles se se sentem mais integrados com a nossa comunidade”, diz Bessa.

Daniela e o primeiro vestido confeccionado após o curso de costureira (Reprodução/Juci Melo)

Dados e logística

Atualmente, em Manaus, há mais de 24 cursos em andamento e mais de 20 cursos já foram concluídos. De acordo com a assessora de educação, mais de 2.300 pessoas refugiadas e migrantes foram apoiadas com serviços diversos que vão desde apoio à emissão de documentação à orientação para ingressar no mercado de trabalho.

“Auxiliamos na emissão da carteira de trabalho digital, por exemplo. Há ainda a ajuda na elaboração de currículos profissionais onde mais de 1.600 pessoas foram apoiadas. Existem também a inscrição em plataformas digitais de emprego e orientações específicas voltadas aos nossos participantes. Sem esquecer de todo um levantamento que fazemos nas empresas locais e a sensibilização da importância de contratar refugiados para suas empresas”, explica a educadora.

Cerca de 110 pessoas receberam certificados em cursos vocacionais, a expectativa é que até o final do mês de setembro, mais de 220 pessoas estejam certificadas. A carga horária das aulas varia de 40 a 150 horas, de acordo com cada curso escolhido pelo participante.

Oportunidade

Em busca de oportunidade e melhores condições de vida, a migrante e participante do projeto Daniela, 21 anos, viu no curso de corte e costura a chance de tentar novos rumos e obter uma renda para o próprio sustento e o sustento da filha. A jovem, que não tem o sobrenome revelado por questões de medidas de proteção, mora há poucos meses no Brasil e já está na expectativa de se desenvolver na nova habilidade.

“Eu gostei do curso e aprendi muito. Fiz um vestido pela primeira vez com o conhecimento e já estou pensando na minha própria empresa, que já tem até um nome”, disse a nova costureira do mercado. Aos que se enquadram como público-alvo do programa e tenham interesse em participar dos variados cursos oferecidos, basta clicar neste link disponível e preencher o formulário com atenção.

Projeto

O “Ven, tu puedes – Empregabilidade e Empreendedorismo para Refugiados e Migrantes” é uma iniciativa pioneira da A World Vision, conhecida no Brasil como Visão Mundial, em função da crise migratória da Venezuela. Com início em setembro de 2019, o projeto de emergência humanitária é financiado pelo Escritório de População, Refugiados e Migração do Departamento de Estado dos Estados Unidos da América (PRM). O intuito é fornecer assistência à subsistência e proporcionar o aumento na renda familiar de pessoas venezuelanas nas cidades de Boa Vista (RR), Manaus (AM) e São Paulo (SP).

A Visão Mundial atua no Brasil desde 1975 com programas e projetos voltados para a área da educação, proteção, emergência e advocacia, tendo como prioridade crianças e adolescentes que vivem em situação de vulnerabilidade social. No Brasil, durante a pandemia, desde o início até os dias atuais, a Visão Mundial alcançou mais de 11 milhões de pessoas direta ou indiretamente.