Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
28 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Bruno Pacheco – Da Cenarium

MANAUS – O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador David Reis (Avante), alegou um futuro aumento no número de parlamentares na Casa Legislativa, ocasionado pelo aumento populacional da cidade, para justificar a aprovação do processo de contração de empresas para construção de um novo prédio anexo da Câmara, no bairro Santo Antônio, zona Oeste da capital.

Sem informar valores sobre o novo anexo, a medida foi publicada na edição de 30 de agosto do Diário Oficial Eletrônico da CMM e assinada por Reis. No documento, a Câmara Municipal destaca que as metas do programa de administração da presidência e da Mesa Diretora da CMM visam preparar a Casa Legislativa para os próximos 20 anos, considerando um “inelutável” aumento do quantitativo na composição de vereadores, decorrente do acréscimo populacional.

Na publicação, a CMM salienta também que a Casa Legislativa é um “espaço público com grande acesso ao povo e que é necessário um novo anexo para oferecer aos agentes e servidores públicos, visitantes e cidadãos manauaras, uma estrutura física adequada e compatível com os interesses comuns do parlamento e da sociedade”.

David Reis cita ainda a pandemia da Covid-19. “A pandemia de Covid-19 avultou a necessidade do poder público dispor de edificações que ofereçam à população e aos servidores espaços seguros, humanizados, ergonômicos e saudáveis”, diz trecho do documento.

Aluguel de veículos

No mesmo Diário Oficial, a Câmara Municipal publicou o Ato da Mesa Diretora 011/2021, que determina o aluguel de carros para as Comissões Técnicas Permanentes. O documento também não informa o valor destinado para a locação dos veículos.

Críticas

A construção de mais um prédio para a Câmara Municipal foi criticada por parlamentares da Casa Legislativa. Segundo o vereador Rodrigo Guedes (PSC), a obra vai custar cerca de R$ 40 milhões, um valor que ele classificou como “descabido”.

“O custo seria cerca de R$ 40 milhões! Deixo claro que sou contra, isso não pode acontecer, é totalmente descabido. Esse recurso deveria ser enviado ao Poder Executivo”, escreveu o parlamentar em uma publicação no Twitter.

Publicação de Rodrigo Guedes no Twitter (Reprodução/Twitter)

Na avaliação do vereador Amom Mandel (sem partido), o investimento que será feito na obra poderia ser convertido em benefícios para a população.

“Só para deixar claro, sou contra a construção de mais um prédio para a Câmara. Penso que podemos investir em processos que reduzam a morosidade excessiva na Casa Legislativa ou qualquer outra coisa que traga um benefício mais claro à população em geral. Eu me recusei a assinar os atos nesse caso. Acho que isso já passa o meu recado”, escreveu o vereador também em uma publicação no Twitter.

Publicação de Amom Mandel no Twitter (Reprodução/Twitter)

O vereador Capitão Carpê (Republicados) lembrou que o atual prédio da Câmara Municipal de Manaus passou por reformas na legislatura passada e está em perfeito estado. Para ele, que também é contra a construção, não há necessidades de gastar com um novo anexo.

“Sou contra a construção de um novo prédio para CMM. Temos um prédio recém-reformado em perfeito estado, não vejo necessidade desse gasto, como consta no documento divulgado pelo Diário Oficial do Legislativo. Penso eu que temos outras prioridades para investimento em Manaus”, declarou o parlamentar.

Publicação de Capitão Carpê no Twitter (Reprodução/Twitter)

Sem retorno

A CENARIUM entrou em contato com a diretoria de comunicação da Câmara Municipal de Manaus, por meio do WhatsApp, solicitando uma nota justificando a construção do anexo. Até a publicação desta matéria, a reportagem não obteve retorno.

Confira a publicação: