Em Porto Velho, quem recebe vacina contra Covid-19 doa alimentos para famílias afetadas pela pandemia

Iury Lima – Da Revista Cenarium

VILHENA (RO) – Foi durante a etapa de imunização contra a Covid-19 para pessoas com comorbidades, a partir de 50 anos, que a Prefeitura de Porto Velho, Rondônia, lançou nesta semana a campanha “Vacina Contra a Fome”. A ação sensibiliza o público a doar alimentos para que sejam destinados, por meio de cestas básicas, para famílias de baixa renda mais afetadas pelos efeitos econômicos da pandemia. 

Quem tem direito a uma dose de vacina, comparece aos postos de aplicação que estão caracterizados com caixas e banners da campanha, e deixa um quilo de alimento não perecível. A prefeitura sugere a doação de itens como arroz, feijão, açúcar, macarrão, óleo, café, fubá e leite (integral), mas ressalta que não é uma condição imposta para receber o imunizante. Trata-se de uma ação voluntária e que conta com a solidariedade e com as condições de cada um dos participantes. 

O prefeito Hildon Chaves (PSDB) ressalta que o objetivo é ajudar a população mais atingida, “Milhares de famílias passaram sérias dificuldades financeiras e estão em situação de absoluta vulnerabilidade social por terem perdido seus empregos ou oportunidades de ganhos para a manutenção do lar”, disse.

Cadastramento e entregas

A prefeitura contará com voluntários para recolher os alimentos, organizá-los e montar as cestas básicas. Já a entrega será feita às famílias que já possuem cadastros junto à Secretaria Municipal de Assistência Social e da Família (Semasf). A campanha também abriu a possibilidade de novos cadastros, que podem ser feitos por meio do telefone (69) 98473-1916 (WhatsApp). As famílias que se cadastrarem por meio do contato da secretaria serão visitadas por servidores da pasta.

Pontos de coleta

Dois pontos de vacinação estão decorados com a identidade visual da iniciativa. As doações podem ser feitas nos seguintes locais: Faculdade Uniron – Campus I, na Avenida Mamoré e no Centro Universitário São Lucas – Campus II, na Rua João Goulart.

Segurança alimentar no Norte do País

O esforço da Prefeitura de Porto Velho vai de encontro às ações para manter (e até melhorar) os dados revelados em 2020 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), onde apontam Rondônia como o Estado da região Norte com o maior índice de segurança alimentar: 63,7%.

(Reprodução/Governo de Rondônia)

O indicador é resultado da Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018, que traça o perfil da segurança alimentar no País. Abaixo de Rondônia, aparecem Roraima (64,4%), Tocantins (54,4%), Acre (41,3%), Amapá (40,6%), Pará (38,8%) e Amazonas (34,5%).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO