Em ‘ritual de unção’, pastor abusava de fiéis no DF para ‘quebrar maldição’

O pastor evangélico Sinval Ferreira (Reprodução/Redes Sociais)
Da Revista Cenarium*

BRASÍLIA (DF) – A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), por meio da 26ª Delegacia de Polícia, deflagrou na manhã desta quarta-feira, 22, a Operação Jeremias 23, a fim de cumprir quatro mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva contra o pastor evangélico Sinval Ferreira, de 41 anos, e uma mulher, de 58 anos, pelos crimes de violação sexual mediante fraude e extorsão. As buscas foram cumpridas nas cidades de Vicente Pires, Samambaia e Sobradinho.

As investigações revelaram que Sinval, líder religioso na região administrativa de Samambaia, abusava sexualmente e financeiramente dos fiéis que frequentavam a comunidade religiosa que ele liderava. Conhecido por suas “revelações” que alegadamente se concretizavam, o pastor usava sua influência para manipular e explorar suas vítimas.

Em um dos casos, o pastor abordou uma fiel, alegando ter tido uma visão de que a esposa dela iria morrer. Ele afirmou que Deus lhe ordenara realizar sete “unções” nas partes íntimas da vítima para quebrar a maldição e salvar a vida da esposa. Temendo pela vida de sua esposa, a vítima cedeu às exigências do pastor e manteve relações sexuais com ele. Sob constantes ameaças de morte de parentes próximos, o pastor forçava os fiéis a manter relações sexuais com ele e entre si.

PUBLICIDADE
Sinval Ferreira abusava sexualmente de fiéis para ‘quebrar maldição’ (Reprodução/Redes Sociais)

A cúmplice, uma pastora, de 58 anos, que atuava em Sobradinho/DF, auxiliava o pastor nas ameaças de castigo celestial e participava dos abusos sexuais. Além de vantagens sexuais, o pastor extorquia dinheiro dos fiéis, alegando que doações generosas eram necessárias para evitar desgraças, como a morte ou a invalidez de um ente querido.

Entre as vítimas está uma mulher que, além de realizar doações financeiras, pagou viagens para o pastor ao Rio de Janeiro/RJ e emprestou uma chácara para ele realizar orgias com outros membros da igreja.

Investigação

De acordo com o delegado da 26ª DP, Marcos Vinícius Miranda, para atender à determinação do namorado, a mulher atraiu uma vítima até o lixão de Samambaia, sob o pretexto de fazer uma oferenda umbandista, onde um homem, de 65 anos, a aguardava com um revólver. “No local, o suspeito torturou a vítima por alguns minutos, obrigando-a a “chupar” o cano da arma como penalidade pela excessiva quantidade de programas que ele agendava diariamente para a mulher”, destaca.

O plano era levar a vítima ao lago Corumbá para despejar o corpo após o assassinato. Contudo, uma falha no veículo obrigou o autor a mudar de plano, decidindo matar a vítima no lixão, amarrando-a a pneus e queimando-a viva.

Os acusados responderão pelos crimes de violação sexual mediante fraude e extorsão, cujas penas podem chegar a 17 anos de prisão.

Leia mais: Pastor e professor são presos em Manaus em operação nacional contra estupros
(*) Com informações da PCDF

PUBLICIDADE

O que você achou deste conteúdo?

Compartilhe:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.