Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
20 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Iury Lima – Da Cenarium

VILHENA (RO) – A cidade de Vilhena, localizada no interior de Rondônia, já aplicou mais de R$ 100 mil em multas por crimes ambientais relacionados ao fogo. Nem o município conhecido pelo clima mais agradável em relação às outras 51 cidades tem escapado do cenário crítico. Os termômetros marcam 30º C e flagrantes diários de queimadas em lavouras, além de áreas urbanas, têm deixado o ar cada vez mais abafado e tomado pela fumaça.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que a cidade, localizada a 705 quilômetros de Porto Velho, registrou até segunda-feira, 23, um total de 48 queimadas, sendo que grande parte disso ocorreu em lotes vazios no perímetro urbano. Em todo o Estado, já foram 3.278 focos identificados.

Um dos 35 lotes autuados por queimadas urbanas, em Vilhena (Reprodução/Semma)

Em chamas

Até essa terça-feira, 24, proprietários de 35 lotes haviam sido multados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma)  por propagar queimadas dentro da cidade, gerando o montante de R$ 102 mil aos cofres públicos. Cada multa foi avaliada, em média, em R$ 3 mil. Ao todo, a cidade tem 16 mil terrenos particulares, que também estão passíveis de multa mesmo que não haja incêndios, caso se encontrem em situação de abandono e sem limpeza.

O secretário municipal de meio ambiente, Rafael Maziero, explicou que o Corpo de Bombeiros contém as chamas na zona urbana ou rural. E a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) faz as autuações da zona rural, enquanto a Polícia Militar Ambiental fiscaliza lotes urbanos e rurais.

“A Semma tem a competência de autuar somente os lotes urbanos. Por isso, nossa ação começa após a contenção do fogo pelos Bombeiros. Medimos a área afetada, registramos em relatório e multamos o dono do lote, visto que se não houvesse material a ser consumido pelo fogo no local, ou seja, se o terreno estivesse limpo, não haveria incêndio”, disse.

Ranking

Vilhena ocupa, atualmente, a sexta posição entre os municípios que mais promovem queimadas. O primeiro lugar do ranking é ocupado por Porto Velho, que já teve  mais de 1.400 ocorrências até agosto. Na vice-liderança estão Candeias do Jamari e Cujubim. 

PosiçãoCidadeNº de queimadas 
Porto Velho1.429
Candeias do Jamari 568
Cujubim426
Nova Mamoré 310
Machadinho D’Oeste92
Vilhena 48
Governador Jorge Teixeira 45
Pimenta Bueno 34
Buritis 29
10ºCampo Novo de Rondônia29
Fonte: Inpe


Em chamas, a ‘Cidade Clima da Amazônia’, que recebeu este apelido justamente em razão de seu clima ameno e agradável gerado de sua posição de quase 600 metros acima do nível do mar, tem ficado cada vez mais quente, amanhecendo e anoitecendo coberta por cortinas de fumaça.

O ato de queimar se tornou crime em território vilhenense com a sanção da Lei nº 5.038, em fevereiro de 2019. Pelos termos da norma, focos ocorridos tanto na zona rural quanto urbana serão punidos com multas que podem chegar até R$ 15 mil.

Cortinas de fumaça tomam Vilhena com o aumento das queimadas (Reprodução/Redes sociais)

Flagrantes

No último domingo, 22, um morador flagrou uma área pegando fogo em uma lavoura de milho, na zona rural, nas proximidades da BR-364, a principal de Rondônia. Foi uma amostra de que os incêndios têm sido cada vez mais recorrentes desde o início do mês.

Em outro caso, dias antes, o alvo de um grande incêndio foi uma pista de kart. O Corpo de Bombeiro Militar levou quase uma semana para combater totalmente as chamas. O incêndio criminoso começou em 9 de agosto e durou até o dia 14, um sábado. 

Estudo técnico avaliará o impacto causado ao meio ambiente em área de queimada, em Vilhena (RO) (Reprodução/Semma)

De acordo com a prefeitura, moradores de bairros vizinhos procuraram o sistema de saúde, relatando problemas respiratórios em razão da fumaça exalada, que invadiu casas e ficou sobre a atmosfera do município. A Semma informou que o proprietário do terreno já foi identificado, mas que o valor da multa só será gerado após o resultado de um estudo técnico que deve determinar o tamanho do impacto ambiental.

Situação do Estado

(Reprodução/Folha de Vilhena)

Com 462 focos de queimadas identificados pelo Inpe apenas na última segunda-feira, 23, Rondônia bateu recorde de queimadas em um único dia desde o início do ano. Com isso, o Estado chegou ao total de 3.278 focos, 200 a mais que no ano passado, quando o balanço foi de 3.078.

Grande parte de tudo que foi captado neste mês ocorreu dentro de áreas de preservação ambiental, somando 691 casos.

Unidades de Conservação e Terras Indígenas

PosiçãoÁreas afetadasNº de queimadas (até agosto)
Áreas de preservação estaduais 479
Terras Indígenas 121
Áreas de preservação federais91
Fonte: Inpe