Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
22 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações da Assessoria

Nos próximos 24, 25 e 26 de novembro, acontece em Manaus o XII Encontro das Entidades de Economistas da Amazônia Legal (Enam). Com o tema “O desenvolvimento regional sustentável por economistas amazônidas”, o evento reunirá, de forma híbrida, profissionais da área da economia, consultores, professores, empresários e estudantes, que debaterão os impactos da atual crise econômica nacional, sobretudo, diante de dois anos de pandemia da Covid-19 que abalou e parou o mundo, e os projetos e ações que podem ser viabilizados, com vistas ao desenvolvimento nos Estados da Amazônia.

Para o presidente do Conselho Regional de Economia (Corecon-AM), Martinho Azevedo, entidade organizadora e anfitriã do Enam, é urgente que economistas ampliem os diálogos sobre experiências, projetos e ações que governos e iniciativa privada estão desenvolvendo para o desenvolvimento regional sustentável. “Com esse atual cenário, ainda pandêmico e de impactos negativos generalizados, nós, profissionais da ciência da economia, não temos o direito da escolha. Ou vamos adiante, ou retrocederemos. Assim, os Corecons da Amazônia se unem nesse grande Encontro, para juntos debatermos as questões envolvendo a economia regional, rumo ao desenvolvimento”, declarou.

“A região Amazônica não é problema, mas soluções e oportunidades para o desenvolvimento econômico do Brasil, com grandes conhecimentos técnico-científicos e rica biodiversidade”, afirmou ainda a vice-presidente do Corecon-AM, Michele Lins Aracaty e Silva, completando que nesse encontro haverá a oportunidade da dialética com profissionais com visões diferentes, que, em conjunto, trarão o que se está em marcha para desenvolver economicamente os Estados amazônicos.

Nos três dias de Enam, com o apoio dos demais Conselhos de Economia da região, serão debatidos oito subtemas de grande importância para a Amazônia: desenvolvimento regional, sustentabilidade, agenda 2030, potencialidades regionais, cadeias produtivas, bioeconomia e biotecnologia, vulnerabilidades socioeconômicas regionais e pandemia de Covid-19.

A abertura oficial do evento ficará por conta da presidência e vice-presidência do Corecon-AM, com a participação também do presidente do Conselho Federal de Economia (Cofecon), Antônio Lacerda. Logo em seguida, acontece palestra magna “Em busca de uma economia para a Amazônia”, proferida pelo coordenador do Centro de Estudos de Infraestrutura e Soluções Ambientais da Fundação Getulio Vargas (FGV), Gesner Oliveira.

“O fortalecimento de parcerias, em busca de um desenvolvimento regional sustentável” será um dos temas do segundo dia de Enam, coordenado pelo Corecon-AM, mas tendo como convidados a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Secretaria de Estado de Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), Banco da Amazônia (Basa), Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), instituições de ensino e pesquisa, além de centros acadêmicos das universidades. Nesse dia, haverá outros debates envolvendo temáticas econômicas regionais, sob a coordenação dos Conselhos de Economia do Tocantins, do Acre, do Mato Grosso e do Maranhão.

No último dia de evento, acontecerá a palestra “Teoria e prática: o modelo atual de desenvolvimento regional pensado pelo Governo Federal para a Amazônia”, com o superintendente da Sudam, Louise Caroline Campos Low, e coordenação do Corecon do Pará, além de outras discussões organizadas pelos Conselhos de Rondônia e de Roraima. O encerramento das atividades ficará por conta do superintendente da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Virgílio Viana, com a palestra “Amazônia do futuro e o futuro da Amazônia”.