28 de fevereiro de 2021

Marcela Leiros – Da Revista Cenarium

MANAUS – O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) recorreu da decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) que adiava o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 no Amazonas e solicitou o cancelamento do exame no Estado. A aplicação do Enem no Amazonas foi adiada para os dias 23 e 24 de fevereiro devido ao atual estado de calamidade pública causado pela pandemia de Covid-19.

No pedido de contestação feito na primeira instância da Justiça do Amazonas, o Inep solicita que se julguem improcedentes todas as decisões de adiamento do exame. O TRF1 manteve a suspensão da aplicação das provas do Enem 2020 no Amazonas, ratificando a decisão da Justiça Federal do Amazonas. Se a contestação do Inep for deferida, o exame será cancelado em todo o estado.

Confira o documento na íntegra:

Contestacao-1

Para o professor de química Amaury Carvalho, do preparatório AtuaAção Centro de Estudos, o possível cancelamento do Enem 2020 só deverá prejudicar os alunos que se prepararam para o exame. “Não há benefício algum nesta decisão. É desrespeitoso com todos os alunos que se prepararam, dedicaram suas vidas a esse momento. Como professor de preparatório, é frustrante e desanimador esse cenário do cancelamento do Enem ser ao menos cogitado. Espero que haja bom senso por parte da Justiça. O Amazonas merece respeito”, afirmou o professor.

O Enem 2020 registrou 5.783.357 inscritos no exame em formato impresso e 96.086 para o formato digital, uma novidade desta edição. No primeiro dia de aplicação da prova, foi registrado recorde de faltas: 51,5% dos inscritos não compareceram. No segundo dia, foram 55,3% de faltas.

Já para o professor Francisco Marcos Araújo de Almeida, que atua como coordenador de vestibulares, o exame deveria ter sido cancelado em todo o País. “Os alunos amazonenses já entram nesse processo seletivo prejudicados, por conta das defasagens de estudos e conteúdos quando comparados a outras regiões do Brasil, principalmente, Sudeste e Sul. O Enem deveria ter sido cancelado nacionalmente. Para se ter uma ideia, tínhamos cerca de quase seis milhões de inscritos e somente cerca de 1,6 milhão terão notas para corte e assim poderão concorrer às vagas pelo Sisu [Sistema de Seleção Unificada]”, defendeu Francisco Marcos.

Oportunidade de ingresso

O Enem foi criado em 1998, com o objetivo de avaliar o desempenho dos estudantes concluintes do ensino médio. A partir de 2004, a prova passou a ser utilizada como ferramenta para ingresso em instituições do ensino superior e, em 2010, com sua inclusão no Sisu, foi reconhecido como o maior e mais completo exame educacional do Brasil.

No Amazonas, cerca de 160 mil candidatos estão inscritos para fazer a prova no estado. Para a estudante Maria Eduarda Camargo, 18, que deseja cursar Medicina, o cancelamento do Enem 2020 tiraria a oportunidade de muitos estudantes que sonham com ensino superior. “Passamos por um período difícil da pandemia e, mesmo com todos os problemas, nós, estudantes, não deixamos de sonhar com a nossa faculdade. Se houver o cancelamento, todo nosso esforço vai estar sendo jogado no lixo, fora que isso tem os danos psicológicos que muitos estudantes ficariam, porque a pressão é extremamente grande”, contou Maria Eduarda.