Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – Rodeado de polêmicas, o Complexo Viário Izabel Victória, mais conhecido como Viaduto do Manoa, localizado na avenida Max Teixeira, Cidade Nova I – zona Norte de Manaus, continua fechado 4 meses após a determinação do atual prefeito David Almeida (Avante) e do vice-prefeito e secretário de Infraestrutura do município, Marcos Rota (DEM).

A inauguração foi realizada em 31 de dezembro do ano passado, no último dia da gestão do então prefeito Arthur Virgílio Neto. Entre testes, liberações e fechamento do viaduto, a atual gestão aponta inúmeros defeitos estruturais e de segurança no local. Sobre as constantes alegações com relação à estrutura do viaduto, um dos responsáveis pela empresa que forma o Consórcio Manauara, composto pelas Construtoras e J. Nasser, o engenheiro José Nasser, alega que a obra está dentro dos padrões técnicos necessários e que não apresenta insegurança para os usuários.

De acordo com engenheiro, os defeitos estruturais precisam ser apontados com exatidão e marcar com precisão em que pilar ou parte da estrutura da grade a obra que estaria apresentando irregularidades.

No último dia 19 de abril o viaduto foi liberado para testes (Reprodução/ internet)

“Engenharia é matemática, não tem que ficar no ar, tem que definir com exatidão… Se o problema é político, eu não sou político, sou engenheiro. Engenharia não pode ficar absorvendo problema político”, ressaltou Nasser em entrevista ao Portal Radar Amazônico nesta quinta-feira, 22.

Nasser também pontuou os recentes testes feitos no local no último dia 19 de abril. Segundo ele, os testes serviram para provar que o viaduto está apto a receber o fluxo de veículos normalmente. A avaliação foi realizada durante todo o dia com os carros de pequeno e grande porte trafegando nas duas vias da obra. Os testes comprovam que o local está em perfeitas condições técnicas de funcionamento.

De acordo com ele, o atual prefeito David Almeida teria pedido para fazer ajustes na obra. No lugar das divisões da pista, o prefeito quis trocar as tarjas luminosas pelas chamadas Tabajaras, pré-moldadas. Ele ressaltou ainda que a A. J Nasser Engenharia possui 42 anos de existência, já fez várias outras obras, além do referido viaduto e, inclusive, ressaltou que quase todos os viadutos de Manaus tiveram participação direta ou indireta da construtora, que até então nunca teve embates ou problemas com o resultado final das obras.

O que diz o Crea?

Em nota, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (Crea-AM) informou que em março deste ano, o presidente do (Crea-AM), engenheiro Afonso Lins, entregou ao vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta, um laudo técnico do viaduto do Manoa, elaborado pelos engenheiros do Grupo de Trabalho Obras Públicas do Crea-AM.

Na ocasião, o coordenador-adjunto do GT, engenheiro civil, Frank Albert, afirmou que houve falhas nos preceitos básicos das boas práticas de engenharia, no que diz respeito às normas pertinentes à execução e controles necessários às estruturas de concreto armado.

Sobre a avaliação do Crea, Nasser considerou que o relatório apresentado não havia consistência e contribuição técnica. Mesmo assim o engenheiro não se posicionou diretamente contra o conselho, que alegou ser um dos responsáveis a trazê-lo para Manaus.

A obra, segundo o profissional, foi entregue nesta quinta-feira, 22, novamente para a Prefeitura de Manaus, junto ao documento que apresenta de forma técnica a qualidade e a segurança da obra, feitas inclusive com a presença de técnicos fiscais da própria prefeitura.