Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
6 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Com informações da Folhapress

SÃO PAULO – O premier Pedro Sánchez afirmou nesta sexta-feira, 23, durante a Cúpula do Clima, que a Espanha vai investir na geração de empregos verdes para acelerar a recuperação do País no pós-pandemia. Em seu discurso no evento organizado pelos EUA, Sánchez disse que esta “é a única forma de superar esta ameaça existencial de nosso tempo.”

De acordo com o premier, a Espanha quer criar até 350 mil empregos verdes ao longo desta década com investimentos públicos e privados. “Acredito firmemente que a transição ecológica apresenta oportunidades extraordinárias. Investir neste tipo de tecnologia pode criar quase três vezes mais empregos do que os gerados por combustíveis fósseis”, afirmou.

Sánchez disse também que após um ano de pandemia “temos motivos de esperança”, sobretudo pelos programas de vacinação. “As últimas horas do vírus estão sendo um pouco menos agressivas graças à vacinação, o que está tornando seus efeitos positivos perceptíveis. Estamos mais organizados, mais conscientes de como lidar com isso. Mas sabemos que não devemos baixar a guarda”, avisou.

Lideranças mundiais

A Cúpula de Líderes Climáticos convocada pelo presidente Joe Biden começou nessa quinta-feira, 22. Os principais objetivos do evento é estimular países a aumentar a ambição nacional climática em várias frentes e recolocar os Estados Unidos na liderança climática global, depois dos retrocessos do Governo Trump.

A cúpula, realizada de forma virtual, reúne 40 líderes e ocorre até esta sexta-feira. O presidente Jair Bolsonaro discursou na sessão de abertura, ao lado de outros 26 presidentes e primeiros-ministros. A surpresa da agenda liberada pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos foi a participação de outro representante do Brasil, além do presidente. A indígena Sinéia B. do Vale, mais conhecida como Sinéia Wapichana, do Conselho Indígena de Roraima (CIR), da Terra Indígena Raposa Serra do Sol, também discursou na cerimônia.

Sinéia é uma das indígenas mais engajadas no debate climático há vários anos, foi a criadora e coordenadora do Comitê Indígena de Mudanças Climáticas na Funai e já participou de várias conferências de clima das Nações Unidas, as CoPs.