Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
28 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

This post is also available in (Post também disponível em): English (Inglês)

Com informações do Estadão

WASHINGTON – O governo de Joe Biden concordou em fornecer ao México as doses excedentes da vacina contra Covid-19 e os mexicanos decidiram ajudar os Estados Unidos (EUA) a conter um aumento significativo da imigração ao longo da fronteira entre os dois países, segundo altos funcionários relataram ao The Washington Post.

A decisão de enviar a vacina do laboratório AstraZeneca ao México e também ao Canadá deve ser anunciada nesta sexta-feira, 19, segundo o jornal. O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, e o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, pediram ao presidente Biden para ajudá-los a suprir a falta de vacinas nos seus países em conversas recentes.

Autoridades mexicanas e dos EUA disseram que o acordo não condicionava a entrega de vacinas à repressão dos imigrantes, mas os EUA querem ajuda do México para gerenciar um fluxo recorde de adolescentes e crianças da América Central na fronteira entre os dois países.

Os mexicanos se comprometeram a receber de volta mais famílias centro-americanas “expulsas” sob uma ordem de emergência dos EUA, ao mesmo tempo em que instaram Biden a compartilhar o fornecimento de vacina dos EUA. 

“Nossa prioridade continua a ser vacinar a população dos EUA, mas a realidade é que esse vírus não conhece fronteiras e garantir que nossos vizinhos possam contê-lo é crítico para proteger a saúde e a segurança econômica dos americanos e para impedir a propagação da Covid-19 em todo o mundo”, disse um alto funcionário da Casa Branca sob condição de anonimato.

Biden disse na terça-feira, 16, que o governo estava “conversando com vários países” sobre as doses armazenadas nos EUA da Astra-Zeneca, desenvolvida na Inglaterra, que não foi aprovada para uso em solo americano. Funcionários dos EUA disseram que a decisão nunca foi compartilhamento da vacina, mas sim quando foi determinado que havia o suficiente para atender necessidades americanas primeiro.

A determinação foi feita na semana passada, após a aprovação do FDA de uma terceira vacina, da Johnson & Johnson, além das produzidas pela Pfizer-BioNTech e Moderna. Os EUA estão bem à frente de quase todos os outros países no número total de mortes por Covid-19, mas agora também estão no topo da lista de distribuição de vacinas.

Biden disse na semana passada que todos os americanos com 18 anos ou mais estariam qualificados para receber as doses até 1º de maio.

Migração

Os pedidos de mais cooperação para a migração se enquadram em um padrão cada vez mais conhecido no qual os Estados Unidos recorrem ao governo mexicano em busca de ajuda em momentos de crise. Nas últimas semanas, o México divulgou uma série de operações anti-migração, principalmente ao longo de sua fronteira com a Guatemala.

A guarda nacional do México invadiu os trens para o norte que os adolescentes da América Central usam para a fronteira com os Estados Unidos, impediu os migrantes com documentos falsificados e divulgou imagens de migrantes detidos. 

Esse tipo de operação não é novidade, mas aumentou nas últimas semanas à medida que cresceu o número de migrantes centro-americanos que passam pelo País. Autoridades mexicanas disseram que suas ações de imigração são conduzidas independentemente dos Estados Unidos, com o objetivo de aplicar suas próprias leis que regulam o fluxo de migrantes.