Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
20 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Da Revista Cenarium

O governador Wilson Lima (PSC) fez um apanhado dos trabalhos da sua gestão em combate ao novo Coronavírus, na noite desta terça-feira, 12. Em tom crítico, Wilson acusou, quando questionado sobre o debate na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) de um possível impeachment. “Sobre esse assunto eu não falo, nosso trabalho é para salvar vidas”, desconversou para em seguida atacar. “São oportunistas que não podem estar fazendo palanque sobre essa tragédia, estão fazendo palanque sobre os cadáveres das vítimas”, disse Wilson Lima. “A história vai se encarregar de julgar esses oportunistas”, disparou.  

Prorrogação

Com os números alarmantes de contaminação pela Covid-19, em Manaus, o Governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) decretou a prorrogação do isolamento social e a restrição de atividades comerciais não essenciais até o dia 31 de maio. Agora, o decreto apresenta o pagamento de multas que será aplicada a quem descumprir as medidas. O novo decreto também traz o uso obrigatório de máscaras por parte da população, lei que não havia no decreto passado.

“Eu reuni com os poderes, representantes do comércio e da indústria, para fazer uma avaliação sobre os números da Covid-19, percebemos que nos últimos dias houve queda nos números de enterro , entretanto ainda é cedo para falar com segurança, que temos condições de uma reabertura”, esclareceu Wilson Lima.

O decreto governamental se ampara na Lei Federal nº13.979, de 6 de fevereiro de 2020, que dispõe sobre as medidas para o enfrentamento da situação de emergência de saúde pública, decorrente do combate ao novo Coronavírus, assim como o disposto no Decreto nº 42.061, de 16 de março de 2010.

De fora

Ficam de fora do decreto estabelecimentos como: as padarias, supermercados, drogarias, além de serviços de alimentação, bebidas, gás de cozinha, casas bancárias, casas lotéricas e cooperativas de crédito. Inclusos também estão supermercadistas de pequeno, médio e grande porte, restaurantes (apenas delivery), distribuidoras de gás de cozinha, água mineral e comércio de alimentos para animais.

Prestadores de serviços como: taxistas, motoristas de aplicativos, comércio de peças automotivas, materiais elétricos, postos de combustíveis, e lojas de conveniência, prestadores de serviços de rede elétrica, de abastecimento de água, oficinas mecânicas e lavanderias.

Força da lei Segundo o decreto, a força da lei falará mais alto, àqueles que insistirem em descumprir. “Em caso de descumprimento do decreto, os órgãos de segurança pública, bem como aqueles responsáveis pela fiscalização dos serviços públicos, ficam autorizados a aplicar sanções previstas em lei”, diz a publicação. Além da advertência, os estabelecimentos que descumprirem as regras poderão receber multa e podem, por força da lei, ter os estabelecimentos lacrados.