Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
27 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Luís Henrique Oliveira – Da Revista Cenarium

MANAUS — A decoração milionária do prefeito David Almeida não resistiu à tempestade que atingiu Manaus nesta segunda-feira, 27. Alguns personagens do presépio natalino da Ponta Negra, zona Oeste, foram destruídos nesta manhã. Além dos personagens que ilustram o nascimento de Jesus, a árvore de Natal também não suportou os ventos e teve a estrela arrancada, evidenciando a fragilidade de uma decoração milionária, orçada em R$ 2.164.960, segundo consta no Portal da Transparência.

Trecho do DOM mostra valor gasto com decoração de Natal. (Divulgação)

De acordo com o Diário Oficial do Município (DOM), na edição de 24 de novembro deste ano, a Prefeitura de Manaus justifica o valor milionário para execução das atividades de pintura, instalação, manutenção e desmontagem de adereços e decorações natalinas. O documento é assinado pela irmã do prefeito David Almeida, Dulcineia Ester de Almeida Motta, presidente do Fundo Manaus Solidária.

Leia mais: Prefeitura de Manaus vai gastar R$ 3,3 mi para população ter ‘experiência única e exclusiva’ no Natal

As peças montadas às margens do rio Negro foram confeccionadas pelo artista parintinense Rossy Amoedo. O presépio, que tem Reis Magos, Maria de Nazaré, Estrela-Guia, São José e anjo, totaliza 19 bonecos que fazem o movimento ao redor do Menino Jesus com dimensão de 35 metros de largura e 15 metros de altura.

Braço de integrante de presépio foi destruído. (Ricardo Oliveira/ CENARIUM)

Embora o presépio esteja no bairro Ponta Negra, considerada uma área muito bem valorizada e com diversos atrativos e construções de alto padrão, segundo associações e entidades voltadas ao setor da construção civil, a descrição da decoração no Portal da Transparência é endereçada a “áreas de maior vulnerabilidade social do município de Manaus, proporcionando as pessoas uma experiência única e exclusiva do clima de natal, realizada pela Unidade Gestora Executora 620301 – Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos”.

A CENARIUM questionou a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) e também a Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) para saber que “áreas de maior vulnerabilidade” são essas que deveriam ou receberam as ornamentações e perguntou se o Complexo da Ponta Negra está incluído, mas ainda aguarda um posicionamento.

Ainda preocupada em “levar uma experiência única e exclusiva” para a população no período do Natal, a Prefeitura de Manaus também anunciou, no mesmo DOM, o gasto de R$ 1.233.000,00. A descrição desta vez se dá para execução das atividades de apresentações artísticas, locação de equipamentos de iluminação e shows pirotécnicos, nas áreas de maior vulnerabilidade social do município de Manaus, proporcionando as pessoas uma experiência única e exclusiva do clima de natal, realizada pela Unidade Gestora Executora 620301 – Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos.

Trecho do DOM que mostra valor para apresentações de Natal. (Divulgação)

Chuvas na capital

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), chuvas com fortes ventos como a desta segunda-feira são comuns para a época do ano conhecida como “Inverno Amazônico”, que vai de dezembro a maio em Estados do Norte do País. Acontece que em uma clara forma de descuido, a Prefeitura de Manaus, seguiu com peças natalinas frágeis que acabaram parcialmente destruídas com a força natural dos ventos.

Leia mais: Chuvas e ventania assustam moradores e arrancam telhas de casas em Manaus

Conforme os dados da estação meteorológica do Inmet, localizada no bairro Adrianópolis, zona Centro-Sul, os ventos atingiram velocidades de rajada de 48,24 km/h. Já na estação do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, os ventos chegaram a velocidades de até 59,26 km/h. Segundo a escala de Beaufort, tais velocidades se encontram na faixa entre “vento fresco” e “vento forte”, cujos efeitos são associados a “movem-se os ramos das árvores, dificuldade em manter um guarda chuva aberto e assobio em fios de postes” até “movem-se as árvores grandes; dificuldade em andar contra o vento”.

Na Ponta Negra, além da iluminação, dos itens do presépio e da imponente, mas frágil, árvore de Natal, permissionários também foram prejudicadas e tiveram suas barracas derrubadas pelos ventos. Em outras localidades, como no Centro, bairro Parque 10 de Novembro, Adrianópolis, Japiim, Praça 14 e Petrópolis, casas foram destelhadas e ruas ficaram alagadas.

Barraca de permissionários foram arrastadas pela força dos ventos. (Ricardo Oliveira/ CENARIUM)