Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
22 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Com informações do Infoglobo

RIO — Um estudo publicado nessa sexta-feira, 17, pelo Instituto Central de Estatística da Holanda confirmou que a população do País segue sendo a mais alta do mundo. No entanto, os resultados também mostram que a geração nascida em 2001 é mais baixa que aqueles nascidos nos anos 1980, quando os holandeses chegaram a uma das alturas mais altas já registradas.

De acordo com o estudo, os homens nascidos em 1930 atingiam uma altura média de 175,6 cm, enquanto aqueles que nasceram em 1980 atingiam cerca de 183,9 cm. Assim, os homens tornaram-se, em média, 8,3 cm mais altos em 50 anos. No mesmo período, as mulheres também cresceram rapidamente. A geração nascida em 1930 atingiu a média de 165,4 cm, enquanto as de 1980 atingiram 170,7 cm, um aumento de 5,3 cm.

Porém, na geração que veio depois dos anos 1980, o crescimento da população do País parou. Os atuais homens de 19 anos, que nasceram no início do milênio, são, em média, 1 cm mais baixos que aqueles que nasceram em 1980. No caso das mulheres, essa redução foi de 1,4 cm.

Por que os holandeses estão encolhendo?

Os pesquisadores responsáveis pelo estudo sugerem que a queda na altura média pode estar relacionada ao aumento da imigração de grupos populacionais mais baixos para o país, e aos filhos dessas pessoas nascidas na Holanda.

No entanto, eles ressaltam que, mesmo em gerações em que os quatro avós nasceram na Holanda, a altura não aumentou como em outras épocas e permaneceu estagnada.

Ao jornal The Guardian, o professor da faculdade de ciências comportamentais e sociais da Universidade de Groningen, Gert Stulp, aponta outras explicações que podem justificar o encolhimento da população.

“Talvez fatores como a crise financeira tenham significado que algumas crianças cresceram em condições mais precárias do que nas gerações anteriores. Ou talvez a desigualdade tenha aumentado, e sabemos que a desigualdade afeta a altura média, condições mais precárias durante a infância levam a menos crescimento vertical”, sugeriu Stulp.

Ele também levanta a hipótese da queda estar relacionada à nutrição dos holandeses, e compara a diminuição da altura no país ao mesmo fenômeno nos Estados Unidos:

“As dietas podem ter mudado. Talvez as dietas dos últimos anos tivessem menos nutrientes importantes para o crescimento. Acredita-se que essa seja a razão pela qual os americanos estão encolhendo, dietas mais pobres, mais calorias, mas menos nutrientes.”

Outro especialista ouvido pelo The Guardian, o presidente de saúde ambiental global do Imperial College London, professor Majid Ezzati, afirmou que demoraria mais alguns anos para confirmar se os holandeses estão de fato observando uma tendência de queda. Porém, ele acrescenta que, se for o caso, a diminuição deve mesmo estar relacionada à nutrição.

Altura continua a maior do mundo

O estudo do Instituto Central de Estatística da Holanda ressalta que os holandeses seguem sendo os mais altos no mundo. De acordo com os pesquisadores, há mais de um século, as pessoas mais altas ainda estavam principalmente na América do Norte e no norte da Europa, em países como Suécia e Noruega.

Porém, estima-se que isso começou a mudar no final da década de 1950, quando teria nascido a primeira geração de holandeses a alcançar o status de mais alta do mundo. Segundo a pesquisa, a geração nascida no início deste século ainda possui esse status.

Outro ponto levantado pelos responsáveis pelo estudo foi que hoje mais de um em cada cinco jovens tem pelo menos 190 cm de altura. Cerca de 7% dos homens têm mais de 195 cm e apenas 12% menos de 175 cm.

Enquanto isso, em 1950, apesar da média da altura ser maior, cerca de 42% dos homens holandeses tinham menos de 175 e aqueles com mais de 190 cm não passavam de 3%.