Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
12 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais
Caroline Viegas – Da Revista Cenarium

MANAUS – Empreendedorismo no Jornalismo foi o tema do terceiro e último dia do evento “O 1º Encontro de Jornalismo: novos rumos e futuro da profissão na era digital”. Durante o evento, grandes nomes do empreendedorismo feminino dividiram suas experiências e falaram sobre os desafios de empreender na Amazônia. O evento ocorreu nos dias 19, 21, com encerramento nesta sexta-feira, 23.

No cronograma do último dia, as convidadas eram Elaíze Farias, cofundadora da Agência Amazônia Real; Paula Litaiff, diretora-geral da Revista Cenarium e Larissa Veloso, CEO da Bravery Digital Mareting. Na respectiva ordem, as profissionais falaram sobre o jornalismo digital e projetos independentes. As palestrantes levantaram questões importantes como por exemplo: O que é preciso para começar um projeto? Como enxergar oportunidades? Qual o melhor caminho para um projeto independente?

O evento teve o objetivo de comemorar o Dia do Jornalista, celebrado em 7 de abril, com uma série de debates acerca da cobertura jornalística na pandemia, oportunidades de renovação e inovação com o crescimento exponencial do online e cases de empreendedorismo. Organizado pelas jornalistas Juci Melo, CEO da agência Ekoa Mais Marketing Digital, que assina essa iniciativa; Cinthia Guimarães, especialista em economia e assessora de comunicação; Anny Girão, assessora de comunicação e relações públicas, e Raquel Maciel, jornalista com especialização em Mídias Sociais, o grupo convidou profissionais em diferentes áreas de atuação para compartilharem suas perspectivas para jornalistas, estudantes e comunicadores em geral.

Acreditar em si

A cofundadora da Agência Amazônia Real, Elaíze Farias, relata que não sabia nada sobre empreendedorismo, quando decidiu “acreditar em si”. “Foi uma tempestade cerebral que surgiu. Algumas pessoas nos chamaram de corajosas, outras nos chamaram de malucas por começar um negócio assim do nada e sem experiência de empreender. Mas o importante é isso, é acreditar em si e aproveitar oportunidades”.

Valorização do funcionário e gestão

A diretora-geral da Revista Cenarium, Paula Litaiff, ressalta a importância de investir no funcionário e dar autonomia à equipe. “Na Cenarium, nós contratamos uma consultora de desenvolvimento pessoal e humano, porque, se a equipe não está bem, nada funciona. Investir em quem faz tudo acontecer, faz todo o diferencial”, afirma a jornalista.

Sobre gestão, Paula afirma que “dar autonomia é essencial”. “A melhor forma de você gerir é dar autonomia a outras pessoas que você confia dentro da equipe. É importante compreender que a empresa precisa funcionar sem você. Eu vou estar presente sim, mas ter apoio é imprescindível, até mesmo para que, na hora de tomar uma decisão relacionada a um funcionário, eu não aja com emoção”.

Autoconhecimento

A CEO da Bravery Digital Mareting, Larissa Veloso, ressaltou a importância de se autoconhecer antes de começar um empreendimento. “Quem pretende empreender, precisa dar esse mergulho interno primeiro. Busque se conhecer e compreender suas forças e fraquezas. Até mesmo para você identificar no que é bom e com o que pode contribuir na vida de outras pessoas”, aconselhou.

O evento

O “1º Encontro de Jornalismo: novos rumos e futuro da profissão na era digital” ocorreu de forma online e gratuita. Como forma de comemorar o Dia do Jornalista, celebrado em 7 de abril, o evento busca promover uma reflexão sobre as mudanças recentes e como elas estão impactando o presente e também o futuro da profissão.

Nos três dias de atividades, o tema abordado no primeiro dia foi ‘Jornalismo e Pandemia: o papel do jornalista na cobertura da crise’. No segundo dia debateram sobre as Tendências e Futuro do Jornalismo na Era Digital.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.