Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
29 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – Durante o debate realizado nesta segunda-feira, 8, na convenção da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre mudanças climáticas (COP26) em Glasgow, na Escócia, o fotógrafo Sebastião Salgado ressaltou a falta de compromisso e as incoerências ao meio ambiente e questões climáticas do atual governo brasileiro. Em debate, o fotógrafo, mundialmente conhecido, abordou pontos que destacam a preservação e o futuro da Amazônia.

“Existem dois Brasis. Tem um aqui dentro e outro fora. Isso é nítido (…) hoje, o Brasil tem um discurso e todos nós sabemos que a realidade é outra. O desmatamento colossal da Amazônia ocorre por conta de termos retirado todos os filtros de controle”, ressalta Salgado.

Ao apontar os problemas de gestão e cuidados ambientais durante o Governo Bolsonaro, Sebastião Salgado enfatizou o desmonte dos órgãos ambientais. “O Ibama não tem mais atuação prática na Amazônia e a Funai é dirigida por um delegado de polícia”, afirmou Salgado.

Mais árvores

Durante o evento, o profissional pediu para que haja mais plantações de árvores no mundo. E aproveitou a ocasião para dividir com os ambientalistas e convidados, a iniciativa de reflorestamento realizada na própria fazenda localizada em Minas Gerais, onde o lugar herdado sem mata, atualmente, possui uma área de mata fechada e preservada.

“Nós temos que plantar árvores, e plantar árvores no mundo inteiro para refazer o sistema de água, para refazer uma grande captura de carbono, pois somente as árvores são capazes de sequestrar o carbono por meio da fotossíntese”, explica o fotógrafo.

Lélia Salgado, Patricia Espinosa, secretária-executiva da Convenção do Clima, Sebastião Salgado e a ex-ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira na COP26 (Eduardo Carvalho / Brazil Climate Action Hub)

Despertar amazônico

Apesar das críticas, Salgado ressaltou a força e a união existente no Brasil para proteger a floresta. Na ocasião, o fotógrafo lembrou da trajetória em meio à Amazônia e à crescente conscientização sobre a temática. “Nunca as comunidades estiveram tão organizadas como agora. O Brasil inteiro criou um sistema de preocupação ambiental que não existia”, pontuou Sebastião, complementando.

“Eu trabalho há muitos anos com a Amazônia e o interesse dos brasileiros era praticamente zero. Hoje, existe um despertar amazônico no Brasil inteiro. Toda essa política negativa levou a um movimento positivo de conscientização”, afirmou o fotógrafo.

Governo predatório

Na leitura de Sebastião Salgado, embora o Judiciário atue a favor da preservação ambiental, a atual gestão acaba com orientações positivas e eficazes voltadas ao território com a maior biodiversidade do mundo. E considera que o executivo perdeu a credibilidade perante ao assunto.

“Quem perdeu foi o Executivo. Um Executivo que seja próximo da natureza, próximo ao Brasil, menos violento, volta ser respeitado e voltará a ser líder. Sempre fomos”, ressaltou Sebastião.

Exposição

Retratando as belezas naturais da Amazônia, Sebastião Salgado inaugurou em Londres, na Inglaterra, uma exposição com 200 fotos registradas em quase 50 viagens realizadas entre os anos de 2013 e 2019. Três obras estão expostas em Glasgow, durante a COP26. A previsão é de que a exposição chegue no Brasil no ano que vem.