Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
15 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – Mais de 150 famílias que vivem na comunidade Quilombo de São Benedito, bairro Praça 14, zona Sul de Manaus, buscam ajuda para enfrentar as dificuldades causadas pela pandemia. A REVISTA CENARIUM entrevistou a representante do Quilombo que enfrenta a segunda onda da Covid 19 em meio a dificuldades financeiras.

Segundo a Professora e membro-fundadora da Associação das Crioulas do Quilombo Urbano de São Benedito (ACQUSB), Rafaela Silva, para muitos moradores a situação é bem difícil. “Muitos membros da comunidade são vendedores autônomos. Então, como conseguir ficar em casa nessa pandemia, se você tem que dá de comer para seus filhos? Como ficar em casa e não ter o básico?”, questionou Rafaela.

Materiais de limpeza, álcool em gel e alimentação são os principais itens de necessidade das famílias, além de auxílio financeiro. Para Rafaela, os quilombolas ficaram de fora da vacinação, não só em Manaus como quase em todos os quilombos do Brasil.

A professora afirma que a Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq) já teria emitido um oficio à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e aguardam resposta.

Quilombo de São Benedito

O Quilombo de São Benedito é o segundo quilombo urbano reconhecido no Brasil, são mais de 150 famílias que residem no local existente há 130 anos simbolizando a resistência de moradores descendentes de escravos maranhenses.  O local, considerado Patrimônio Imaterial do Amazonas, ganhou reconhecimento de segundo Quilombo Urbano do Brasil há pelo menos 7 anos.

De acordo a Professora, toda doação é bem-vinda e vai ajudar principalmente idosos que são mais vulneráveis. “As doações vão auxiliar para que nós consigamos que eles fiquem em casa. Porque temos idosos dentro da comunidade e alguns tem problemas de pressão alta, diabetes e são do grupo de risco”, explicou.

Como ajudar

Aos interessados em ajudar, podem entregar doações na comunidade, localizada na Avenida Japurá, nº 1.364, Praça 14 de Janeiro, zona Sul, próximo à rua Duque de Caxias. Já para as doações em espécie, as transferências podem ser feitas pelo PIX: 611.060.462-34. Para mais informações é só entrar em contato com o número: (092) 99261-7416.