Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
23 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Com Informações do Portal Geledés

SÃO PAULO – Começa nesta semana a edição de 2021 do Festival “Bixanagô – Empoderamento e Estética Negra”, que chega chegando totalmente online no dia 21 de março, Dia Internacional contra a Discriminação Racial, e segue nos dias 25, 26 e 27. A programação é aberta com uma exposição inédita e traz shows, rodas de conversa e oficinas para todas, todos e todes.

Com curadoria de Micaela Cyrino e Paulete Lindacelva, a exposição de abertura “Como quebrar uma linha”, no sábado 21, reúne um grupo de cinco artistas que se aprofundaram em suas travessias – caminhos – e inquietações, entre contextos históricos e sociais, de afetação dos corpos, das almas e a amálgama que todos esses espaços preenchem. São eles: Alexandre dos Anjos, Karolyne Kimberbeli, Mayara Amaral, Micaela Cyrino e Manauara Clandestina.

“Cada um dos artistas escolhidos tem sua própria trajetória e nós, o público, precisamos acompanhar e conhecê-los para desfazer esse ciclo colonial de produção e consumo de arte, garantindo que de alguma maneira possamos viver de arte no Brasil. Entre os temas diversos, todas trazem de alguma maneira a existência de corpos dissidentes. Me sinto representada em todas as obras”, conta Micaela Cyrino, cocuradora da mostra.

Rodas de conversa e oficinas

Com transmissão online, as rodas de conversa e oficinas desta edição do Festival Bixanagô trazem temas de relevância para todas as pessoas, com a participação e mentoria de convidados inspiradores e verdadeiras referências em suas áreas de atuação.

Os assuntos das rodas de conversa vão desde economia, passando por identidade das periferias, direitos da população LGBT, até prevenção contra ISTs (infecções sexualmente transmissíveis). Informações para as inscrições pelo link  https://www.festivalbixanago.com e no Instagram (@festivalbixanago). Confira a programação completa no Portal Geledés.