23 de setembro de 2020

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC

Da Revista Cenarium*

MANAUS – O setor de turismo foi um dos mais afetados pela pandemia, sendo o primeiro a parar suas atividades e um dos últimos a retomar. Para debater resoluções sobre o panorama, em 31 de agosto, o 5º Fórum Brasileiro de Turismo (FBT) vai reunir nomes importantes do setor na iniciativa privada e no poder público, que entre painéis de debates e palestras, reforça a retomada do crescimento do setor é o foco.

Em um mercado que movimentou no Brasil em 2019, cerca de R$ 238,6 bilhões de reais, sofreu duras baixas e terá que se adequar à nova realidade, com desenvolvimento econômico, arrecadação tributária, emprego e renda, que além também term poder fomentar a preservação ambiental e o turismo sustentável.

Em sua quinta edição, as inscrições já estão abertas e devem ser feitas pelo link. o FBT vem no momento importante para discutir o processo de retomada. De olho nos números do mercado de turismo no Estado de São Paulo, no Brasil, na América Latina e no mundo, o debate segue entorno das mudanças e tratando temas importantes como meio ambiente, segurança pública,  mobilidade urbana, mão de obra, cadeia produtiva, números e perspectivas e os impactos do setor em políticas públicas.

Oportunidade

Entre os tópicos a serem abordados a grande expectativa será o debate sobre as tendências para o crescimento e a política de repasse de recursos do setor público para o mercado de turismo.

Para o Chairman do evento, Toni Sando- Presidente da Unedestinos “esta é a oportunidade que temos para debater de forma construtiva o setor e encontrar oportunidades de retomar o crescimento unindo forças entre o poder público e a iniciativa privada”.

Já o Presidente Mundial do GCSM, Agostinho Turbian reforça “a importância do momento para que todos se posicionem. Entre os inscritos temos desde estudantes, profissionais, lideranças e autoridades do setor que podem compartilhar experiencias e ideias. Isto irá favorecer o debate e resultar em politicas publicas focadas no crescimento e na garantia da aplicação as normas de saúde para o setor.”

Dados

Grande polo de geração de emprego e renda sempre teve os números eram grandiosos antes da pandemia:

  • O turismo movimentou em 2019, 238,6 bilhões de reais.
  • Número de empregos diretos e indiretos – alta de 163,6% em relação às vagas criadas em 2018
  • Representação no PIB Brasileiro – 8,1%
  • Mundialmente, o setor de turismo é responsável por 10% do PIB mundial, 10% dos empregos diretos e indiretos; 1,4 trilhões de dólares em exportação; 7% das exportações mundiais e 30% das exportações de serviços.
  • Principais destinos turísticos no Brasil – o Sudeste se destaca no faturamento do país – R$ 147 bilhões, correspondente a 61,6% do faturamento do setor turístico em 2019, seguida pelo Sul (15,9%) e pelo Nordeste (12,6%).  O Estado de São Paulo liderou, respondendo por 40,5% do faturamento no País.
  • Geração de empregos em função da sua composição de atividades: Bares e Restaurantes (37,45%); Atividades recreativas, culturais e desportivas (17,93%); Transporte rodoviário (17,37%); Outros transportes e serviços auxiliares dos transportes (9,93%); Hotéis e Pousadas (7,14%); Transporte aéreo (4,78%); Atividades de agências e organizadores de viagens (2,73%); Aluguel de bens móveis (2,67%).

O Fórum é uma iniciativa do Grupo GCSM com participação da União Nacional de CVBs e Entidades de Destino, a Associação Brasileira da Industria de Hotéis (ABIH) e Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil.

(*) Com informações da FBT

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.