24 de novembro de 2020

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC

Gabriel Abreu – Da Revista Cenarium

MANAUS – O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), anunciou nesta terça-feira, 27, a prorrogação do decreto que suspende o funcionamento de bares, flutuantes, balneários e chácaras em todo o Estado. O prolongamento se deve por causa do aumento de casos e internações pelo novo Coronavírus.

Wilson Lima descartou ainda a possibilidade de segunda onda de Covid-19. “Mas há algumas situações que têm nos deixado em estado de alerta”, disse Lima.

“Os eventos políticos, convenções, reuniões, caminhadas fizeram com que os casos aumentassem no interior. Também estamos tendo a antecipação do período chuvoso, o que aumenta a incidência de doenças respiratórias e todo esse cenário tem causado uma pressão sobre a nossa rede e tem feito com que algumas unidades chegassem a sua capacidade máxima”, disse o governador.

Reordenamento

O planejamento desenhado pelos técnicos da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM) visa também preparar a rede para um possível crescimento no número de hospitalizações com o início da sazonalidade de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), a partir da ocorrência mais frequente de chuvas em Manaus, que geralmente é acompanhada pelo aparecimento de infecções respiratórias.
 
“Estamos observando aumento nas internações e permanência de longa duração no hospital Delphina Aziz, onde parte dos internados já saiu do período de transmissibilidade. Para isso estamos fazendo uma ação de desospitalização do Delphina e precisamos abrir leitos na retaguarda da rede”, disse o secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo.
 
Para o período sazonal das síndromes gripais, que acontece de novembro a junho, há também a previsão do aumento do número de leitos no Hospital Delphina Aziz e nas outras unidades de referência, em cinco fases, conforme a taxa de ocupação de leitos.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.