Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Victória Sales – Da Revista Cenarium

MANAUS – Indo de encontro às medidas sanitárias para conter o avanço da variante Ômicron no Brasil, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), anunciou, nesta sexta-feira, 3, durante uma coletiva de imprensa, que o Estado está liberado para realizar as festas de fim de ano, mediante a apresentação de relatório com mais de 70% da cobertura vacinal por município. Além disso, Helder destaca que a capacidade de lotação dos estabelecimentos está liberada, mediante a apresentação da carteira de vacinação.

De acordo com Helder Barbalho, percebe-se que foi virada a página das restrições e passou-se a prestigiar quem está imunizado. “Portanto, todos esses estabelecimentos, como casa de shows, bares, restaurantes, cinemas, teatros, unanimemente demonstraram percepção da importância desta iniciativa, no sentido de que quem estiver vacinado pode ir para o bar, pode ir para o restaurante, pode ir para onde quiser”, destacou.

Durante a coletiva de imprensa, o procurador-geral do Estado, Ricardo Sefer, reafirmou que quem descumprir a exigência poderá ser multado. De acordo com Ricardo, todas as pessoas precisam estar com o comprovante de vacinação, seja por meio impresso ou digital, e com o documento oficial com foto. “Se sair de casa, leve a sua carteira de vacinação. Em caso de descumprimento, teremos advertências, a possibilidade de embargo e multa que pode chegar até R$ 50 mil para pessoas jurídicas e a partir de R$ 150 para pessoas físicas”, explicou.

Aplicativo

Na oportunidade, Helder aproveitou o momento para lançar um aplicativo que servirá como passaporte para indicar locais de vacinação por todo o Estado. O governador destacou que o aplicativo “Passaporte da Vacinação” estará disponível para os sistemas operacionais IOS e Android, a partir de segunda-feira, 6. “Nos vimos obrigados a criar mecanismos de incentivo a quem se vacinou e estimular a reflexão de quem não se vacinou”, reafirmou Helder.

O governador contou que haverá também uma vinculação do pagamento de benefícios sociais, como o “Renda Pará”, que paga R$ 100 para trabalhadores autônomos durante a crise econômica na pandemia da Covid-19, e agora, segundo Helder, será necessário comprovar que a pessoa tomou as duas doses da vacina ou a dose única. Outra medida anunciada pelo governador, foi a lei aprovada na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), que cria o passaporte sanitário aos servidores públicos estaduais. Até o momento, o Estado apresenta 105 mil servidores na pasta.

Estado de alerta

O representante estadual explicou sobre o caso das regiões em situação mais crítica no Estado, como o Araguaia, Baixo Amazonas, Caetés, Tapajós e Xingu. Além disso, ele relata que a região do Tapajós está com mais de 50% da população sem ter tomado nenhuma das doses. “Nós temos, por exemplo, o hospital de Altamira, com 18 pacientes, destes 14 não se vacinaram. Nós não podemos desconhecer a ciência ou os dados que demonstram que quem está vacinado pode até se infectar, porém não apresenta sintomas ou apresenta sintomas leves, o que demonstra a eficácia da vacina”, relatou.