Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
Com informações da Folha de S. Paulo

FLORIANÓPOLIS e BRASÍLIA – O Governo Jair Bolsonaro (PL) dispensou nessa quarta-feira, 29, o apoio oferecido pela Argentina às vítimas das fortes chuvas que atingem a Bahia nos últimos dias, afirma o governo do estado. A recusa do Ministério das Relações Exteriores foi divulgada pelo consulado argentino à gestão Rui Costa (PT).

As enchentes já deixaram 24 mortos e 434 feridos. De acordo com o governo baiano, 37.324 pessoas estão desabrigadas e 53.934, desalojadas. Dos 141 municípios atingidos, 132 seguem em situação de emergência. No total, 629.398 pessoas foram afetadas.

Caixão transportado por barco
Travessia de corpos de pessoas que faleceram no hospital e precisam ser enterradas em Ilhéus, pelos Bombeiros da Paraíba e PM -(Camila Souza/GOVBA)

“O País vizinho pretendia enviar imediatamente ao sul da Bahia uma missão com profissionais especializados nas áreas de água, saneamento, logística e apoio psicossocial para vítimas de desastres”, diz o governo baiano em nota.

Na tarde desta quarta, o governador petista agradeceu em suas redes sociais a oferta de ajuda humanitária e pediu celeridade ao governo federal para autorizar a missão internacional.

De acordo com a nota do governo baiano, a gestão Bolsonaro “agradeceu [em documento oficial] a proposta argentina e informou que a situação na Bahia ‘está sendo enfrentada com a mobilização interna de todos os recursos financeiros e de pessoal necessários'”.

“Na hipótese de agravamento da situação, requerendo-se necessidades suplementares de assistência, o governo brasileiro poderá vir a aceitar a oferta argentina de apoio da Comissão dos Capacetes Brancos, cujos trabalhos são amplamente reconhecidos”, continua o documento do Itamaraty, segundo o governo baiano.

Procurados, o Planalto e o Itamaraty não responderam até a publicação desta reportagem.

Estrago provocado pela enchente após chuva na cidade de Jucuruçu, interior do estado da Bahia. O temporal que atingiu o sul baiano deixou estragos, vítimas fatais e milhares de desabrigados
Estrago provocado pela enchente após chuva na cidade de Jucuruçu, interior do estado da Bahia (Eduardo Anizelli/Folhapress) 

O governo federal anunciou nessa terça-feira, 28, a liberação de R$ 80 milhões para restaurar as estradas federais no estado, valor considerado insuficiente por Rui Costa. À Folha, ele diz que serão necessários pelo menos R$ 400 milhões. “Pergunte para qualquer caminhoneiro como está a BR-242, a principal via de escoamento do agronegócio na Bahia.”

A recuperação das estradas estaduais está estimada em R$ 500 milhões, e a das estradas vicinais, em R$ 300 milhões. “O interior da Bahia tem atividades econômicas dependentes da agricultura, da produção de leite, carne, mandioca, fruta. Se essa produção não consegue chegar aos grandes centros, significa a derrocada da economia, da renda das pessoas”, afirma o governador.