Governo de Tocantins orienta a abrir comércio, mas capital é contra

Katna Baran / Folhapress

O governo de Tocantins emitiu nesta terça-feira (14) um decreto em que recomenda a reabertura do comércio e de serviços não essenciais pelos municípios do estado. Os estabelecimentos deverão manter controle de acesso para evitar aglomerações e estimular a lavagem das mãos, o uso de álcool em gel e observar as regras de etiqueta respiratória.

Com o antigo decreto, de 21 de março, o governo mandou fechar shopping centers, centros comerciais, galerias e feiras, mas não proibiu o comércio em geral de abrir. Havia apenas uma recomendação para que as prefeituras fechassem os serviços privados não essenciais. Agora, a intenção é de que os estabelecimentos reabram gradativamente.

Para seguir o novo entendimento, a gestão Mauro Carlesse (DEM) levou em consideração que o Tocantins é o único estado do Brasil que ainda não registrou mortes pela Covid-19 e possui a menor proporção de casos da doença por milhão de habitantes (16,3).

Apesar da medida do governador, a prefeitura de Palmas, capital do estado, decidiu não seguir a orientação. Em coletiva de imprensa no final da tarde, a prefeita Cintia Ribeiro (PSDB) afirmou que viu o novo decreto com “perplexidade”, já que, segundo ela, os municípios não foram chamados para opinar sobre a recomendação e que não há confiabilidade nas medidas.

“Os dados não são muito concretos no Brasil inteiro, o que não dá muita segurança para seguir o decreto”, disse a prefeita. A atual legislação municipal é rígida e mandou fechar shoppings, galerias e polos comerciais, além de cinemas, academias, bares e restaurantes.

O novo decreto estadual orienta os estabelecimentos para o uso de máscaras de proteção e disponibilização de álcool em gel, além de distanciamento em filas de pagamento e entre funcionários, manutenção de ambientes arejados e higienização de banheiros.

Ainda ficam proibidos os eventos e reuniões públicos ou privados com aglomeração de pessoas. O transporte coletivo de passageiros pelo estado também continua restrito à metade da capacidade de usuários sentados por veículo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO