Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de junho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
Marcela Leiros – Da Revista Cenarium

MANAUS – As aulas na rede pública do interior do Amazonas devem iniciar no dia 19 de maio e a vacinação dos professores que atuam nessas escolas vai começar a partir de segunda-feira, 17, em Manaus. O anúncio foi feito em coletiva pelo governador do Estado, Wilson Lima, na manhã desta sexta-feira, 14. Mudanças no horário de funcionamento de shopping centers e liberação de funcionamento de parques e espaços de recreação infantil também foram anunciados.

Os ajustes no decreto vigente começam a valer a partir de segunda e têm duração de 15 dias. De acordo com Lima, o retorno às aulas dos mais de 230 mil alunos do interior do Amazonas será de forma semipresencial – com presença física nas escolas dia sim e dia não – e híbrida – com acompanhamento das aulas de forma remota e presencial. O governador pontuou que todos os protocolos sanitários necessários serão tomados para garantir a segurança.

“Há muitos outros setores que foram flexibilizados e epidemiologicamente representam um risco maior, porque não retomar às aulas que são fundamentais para a vidas de crianças e adolescentes? Então a gente está trabalhando com todos os cuidados necessários. Todas as escolas têm álcool gel, colocamos mais pias, tem tapete sanitizante, toda a estrutura necessária para garantir a segurança tanto para os estudantes quanto para os professores”, destacou o governador.

O governador Wilson Lima anunciou os ajustes na manhã desta sexta-feira, 14 (Reprodução/Facebook)

Referente à vacinação, que também começará pelos docentes do interior, Lima destacou que um estudo recente feito em parceria com a Fundação de Vigilância Sanitária (FVS) indicou que é seguro o retorno às atividades de ensino. “O estudo feito pela FVS indicou que não tivemos nenhum caso de transmissão de Covid-19 no ambiente escolar por alunos e o índice de transmissão entre professores e profissionais foi muito baixo, o que nos dá a segurança de retornar às atividades eletivas, até para garantir a segurança alimentar de muitos alunos que dependem da merenda escolar”, disse Wilson Lima.

Ajustes no decreto

Foram anunciados também ajustes no decreto vigente como:

Circulação de pessoas – continua restrita entre 0h e 6h;

Shopping centers – continuam funcionado até 22h de segunda a sexta-feira, mas aos domingos o horário de funcionamento será ampliado até 21h;

Parques e recreação infantil – liberados para funcionar, sendo vedado o uso de túneis, piscina de bolinhas e brinquedos de uso coletivo;

Teatro Amazonas – visitação liberada desde que seja agendada antecipadamente;

Bares, restaurantes, lanchonetes e similares – funcionamento aos domingos estendido até 22h (durante a semana o funcionamento permanece até 23h). Também está permitido o uso da brinquedoteca nesses estabelecimentos, mas vedado o uso dos brinquedos coletivos.

Flutuantes com  Classificação Nacional de Atividades Econômicas (Cnae) – funcionamento até 18h, assim como também as Marinas.

Variante do Reino Unido

Atualmente, a taxa de transmissibilidade do novo coronavírus (RT) no Amazonas é de 0,9, sendo a menor taxa entre os 27 Estados do País. No entanto, segundo o diretor-presidente da FVS, Cristiano Fernandes, a população não pode descuidar dos protocolos de proteção como uso de máscara e distanciamento social, principalmente devido à descoberta da variante B.1.1.7 – inicialmente identificada no Reino Unido – em Manaus.

“Em relação ao cenário epidemiológico, a gente tem observado uma tendência de estabilidade no número de casos. Em relação aos casos temos observado uma redução de 34%. Na média móvel de óbitos chegamos patamares semelhantes ao período interepidémico. Temos um preocupação de mudança de cenário e perfil epidemiológico, temos monitorado todos o boletins. Alguma pessoas insistem em não cumprir as regras, a gente chama a atenção para cada um fazer sua parte”, destacou ele.

Ocupação de leitos

A taxa de ocupação de leitos clínicos para Covid-19 está em torno de 30% e leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é de 50%. “No entanto, a taxa ocupação pra outras causas chega a 80%, pressionando nossa rede de urgência e emergência para adultos nos hospitais Platão Araújo, 28 de Agosto e João Lúcio”, pontuou o secretário estadual de Saúde, Marcellus Campelo.

Na coletiva foi anunciado ainda que o Hospital Delphina Aziz, na zona Norte de Manaus – referência no tratamento de Covid-19 – começará a receber a partir desta sexta pacientes com outras doenças. Foram liberados cerca de 56 leitos clínicos que serão preenchidos até o fim da semana. “Foi reservada uma ala para que esses pacientes possam ser recebidos, com a supervisão da FVS, sob a coordenação dos profissionais da área da saúde”, disse o governador.

O Hospital Nilton Lins continuará funcionando exclusivamente como referência de combate à Covid-19.