28 de fevereiro de 2021

Gisele Coutinho – Da Revista Cenarium

MANAUS – O governo federal foi avisado do agravamento da pandemia do novo coronavírus no Amazonas neste início de ano, que culminou com a falta de oxigênio nos hospitais de Manaus para os pacientes com Covid-19, mas não deu importância. É o que destacam os jornais Folha de S.Paulo e Estadão nas edições deste domingo, 17.

Reprodução/Jornal Folha de S.Paulo

Os alertas foram feitos por integrantes do governo amazonense e da empresa que fornece oxigênio na formulação medicinal, a White Martins, mas o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e o próprio presidente Jair Bolsonaro preferiram manter o discurso vazio do tratamento precoce, com cloroquina e ivermectina, este último indicado para combater piolho, pulga e carrapato, que não tem qualquer comprovação da comunidade científica internacional.

Reprodução/Agência Estadão

O ministro Pazuello, um entre tantos militares que tomaram conta da cúpula do governo Bolsonaro, esteve no início da semana passada em Manaus para falar do plano de vacinação no País, assim que a Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa) aprovar os usos emergenciais das vacinas Coronavac, chinesa, e da inglesa desenvolvida pela universidade de Oxford. Mas nem isso o ministro definiu, causando grande frustração no País.

Leia mais

Presidente Bolsonaro mentiu ao dizer que repassou R$ 8,9 bilhões ao Amazonas para conter Covid-19

Ao contrário disso, o ministro chegou à capital do Amazonas acompanhado de um grupo de médicos que defendem o uso da cloroquina. E em Brasília, mesmo diante do caos humanitário instalado em Manaus, o presidente Bolsonaro literalmente lavou as mãos. Disse que o que podia ter feito pelo Amazonas, o fez, repassando R$ 8,91 bilhões para o Estado enfrentar a pandemia.O presidente, com a fala direcionada aos apoiadores que fazem vigília diária na porta do Palácio do Planalto, mentiu.

Verdade sobre verbas

A maior parte absoluta dos valores que a União repassou ao Estado em 2020 foi em verbas constitucionais, obrigatórias, como o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que vai direto para as contas das prefeituras; o Fundo de Participação dos Estados (FPE); e o próprio Fundeb, que custeia parte do ensino básico. Mas a fake news foi repetida como um mantra nas redes sociais, como se uma mentira se transformasse em verdade quando dita diversas vezes.

Diante da inércia do Governo Federal, que apenas depois de muita pressão da opinião pública nacional e internacional acionou as Forças Armadas para ajudar o Amazonas a transferir pacientes para tratamento em  outros Estados, uma corrente de solidariedade gerou doações de oxigênio ao Amazonas. Artistas, empresas instaladas fora do Estado e até mesmo o governo venezuelano estão enviando cilindros do gás medicinal para os hospitais de Manaus e interior amazonense.

O que a população brasileira espera é agilidade na aprovação das vacinas já testadas no Brasil com sucesso. E que nos próximos dias, neste fim de janeiro, a vacinação comece, com prioridades aos grupos de risco, mas também às cidades com pior quadro na pandemia, como Manaus, Blumenau, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, entre outras.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.