Grupo Gambá de Maués, no Amazonas, promove série de shows virtuais de junho até agosto

Alessandra Leite – Da Revista Cenarium

MANAUS – Em fase de estudos para ser reconhecido como patrimônio histórico imaterial do Estado do Amazonas, o Gambá de Maués – complexo sociocultural que agrupa práticas musicais, dança, cantigas, rezas de ladainha e confecção de instrumentos musicais com material orgânico da floresta – está promovendo uma série de apresentações virtuais, com o intuito de compartilhar a rede de saberes que compõem a cadeia produtiva do grupo.

Projeto financiado de forma integral pela Lei Aldir Blanc/Prêmio Feliciano Lana 2020, a sequência de lives ocorrerá entre os meses de junho e agosto e fará um intercâmbio entre os mestres da tradição oral e os jovens músicos do município de Maués, a 356 quilômetros de Manaus, via fluvial.

As lives trarão outras manifestações tradicionais do Baixo Amazonas, como o Cordão de Pássaros e a participação do rabequeiro Mestre Zé Pinto. Entre as inovações propostas pelas apresentações, está a inclusão de mulheres como cantoras e percussionistas nos grupos de Gambá da atualidade. Nos primórdios da tradição apenas homens podiam cantar e tocar nos grupos de Gambá.

Uma das expressões culturais mais longevas do Amazonas e precursor da brincadeira de boi-bumbá, o Gambá tem basicamente três modalidades: o indígena, o quilombola e o ribeirinho. “Quando se encontram, executam um estilo musical genuinamente amazônico. Em Maués é onde se mantém uma intensidade maior desta tradição”, destaca Waldo Mafra, conhecido como o “mestre Barrô do Gambá”.

Waldo Mafra, “o mestre Barrô do Gambá”, em apresentação musical (Adriano Sarmento/Divulgação)

De acordo com Waldo Mafra, que também é o proponente do projeto e diretor geral do Museu Cultuam em Maués, as lives terão shows musicais, rodas de conversa com Mestres da Tradição, além da exibição do ritual de “Encomendação das Almas” e do lançamento do catálogo do Museu de Arqueologia e História de Maués.

O Ponto de Cultura Cultuam, conforme o “Mestre Barrô”, desenvolve uma revitalização dessa expressão artística, diversificando e fazendo novas adaptações ao ritmo do gambá com outros elementos musicais. “Mantendo a tradição e inovando, foi assim que surgiu o Grupo Tambores da Floresta, que faz o Gambá Elétrico e o Gambá Contemporâneo”, conta o artista.

O Gambá Elétrico

O Gambá Elétrico se caracteriza pela introdução de um contrabaixo e guitarra elétrica ao conjunto tradicional de Gambá formado pelo Tambor de Gambá, o Tamborinho e o Caracaxá. Segundo Mafra, esta forma de expressão do Gambá é marcada por muitas inovações na sonoridade matriz a partir de instrumentos musicais, também caracterizado pela inserção de outros instrumentos de percussão como o tambor gambá de corte, o tambor Barroncas de marcação, o paneiro com sementes, ouriços de castanha e o nhambé.

Mestres do Gambá

Os mestres do Gambá têm todos acima de 62 anos de idade e moram em comunidades ribeirinhas de Maués (Adriano Sarmento/Divulgação)

Todos os mestres têm idade acima de 62 anos e residem na Comunidade Ribeirinha Santa Maria no Alto Rio, no Alto Rio Maués-Açu e Comunidade Nossa Senhora Aparecida do Pedreiro, no Rio Urupadi.

Atualmente, mestre Barrô realiza uma pesquisa de doutorado na Universidade de Campinas (Unicamp), em colaboração com a cantora amazonense Karine Aguiar, com quem publicou inclusive um capítulo de livro e tem participação programada para o próximo mês de outubro, em um congresso na City University of New York, onde apresentará resultados desta pesquisa colaborativa.

Todas as apresentações serão transmitidas pelo canal Cultuam Maués, no Youtube. https://bityli.com/hbfgQ ). 

Serviço:

05/06 (Sábado) 16h (horário local) – Gambá Matriz. (Grupo Pingo de Luz/Boi de terreiro TEIMOZINHO do Mestre Iracito).

19/06 (Sábado) 16h (horário local) – Oficina de Tambores/Caracachá com os mestres

03/07 (Sábado) 16h (horário local)- Roda de conversa Mestre Gambazeiros e Apresentação Mestre Rabequeiro Zé Pinto/Convidados

17/07 (Sábado) 16h (horário local)- “Recomendação das Almas”

14/08 (Sábado) 16h (horário local)- Lançamento do Catálogo do Museu de Arqueologia e História de Maués/Cultuam)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO