Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
24 de julho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações de O Globo

BRASIL – O vírus encontrou um ambiente ideal para sua disseminação no país. Além do negacionismo do governo, a situação precária da habitação da população brasileira facilitou a transmissão do coronavírus.  

Segundo os Indicadores Sociais de Moradia no Contexto Pré-Pandemia de Covid-19, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado na quarta-feira, 23, quase 38% da população do País tinha alguma vulnerabilidade de acesso à água, o que poderia dificultar a higienização das mãos e de objetos em 2019, período anterior à pandemia de Covid-19. 

“Enquanto 22,4% moravam em domicílios sem abastecimento diário ou estrutura de armazenamento de água, 11,9% eram abastecidos por outra forma que não a rede geral. Além disso, 3,4% dos domicílios não estavam ligados à rede geral de água nem contavam com canalização”, diz o levantamento.

Outro dado alarmante: o percentual de pessoas pretas ou pardas (4,8%) que viviam em domicílios que não tinham na rede geral a sua principal forma de abastecimento de água e não contavam com canalização interna nos domicílios era bem maior do que a população de brancos (1,6%).

Além disso, 9,8% residia em domicílios com seis ou mais moradores. A proporção de pretos e pardos que viviam nessa situação era quase o dobro da população branca.