28 de fevereiro de 2021

Michelle Portela – Da Revista Cenarium

MANAUS – Organizações dos povos indígenas da Amazônia enviaram cartas aos governadores dos nove estados da região para pedir o envio de um maior número de vacinas para os territórios dos povos tradicionais. De acordo com representantes, a cota de vacinas recebida até agora atende apenas a 15% da população indígena na região, que registraram mais de 33 mil casos confirmados e o falecimento de 749 pessoas.

A infecção por Covid-19 atingiu 139 etnias da Amazônia e causou mortes em todos os estados (veja tabela), de acordo com dados da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab). O Amazonas é o estado que compreende o maior número de casos. Até agora, 32 etnias foram afetadas, somando 8.383 mil casos de Covid-19 confirmados nas aldeias e áreas demarcadas. Pelo menos 233 indígenas não resistiram.

A cota de vacinas recebida até agora atende apenas a 15% da população indígena na região. (Arte: Samuel KNF/Revista Cenarium)

O alto número de casos e a abrangência da infecção entre os povos indígenas preocupa as lideranças, que se esforçam em busca de socorro. Na última semana, a Coiab enviou carta a todos os governadores da região, pedindo que a atualização dos dados quanto à população indígena eleve o número de vacinas destinadas aos povos.

Alerta

“O cenário está complicado porque as vacinas que têm chegado nos territórios indígenas atendem a uma proporcionalidade mínima. Já encaminhamos um documento pela Coiab, informando que precisamos de um percentual maior de vacina levando em considerações, os nossos dados”, alerta Nilcélio Jiahui, liderança indígena e membro da Coiab, que está na frente de combate à pandemia.

Para a Coiab, o problema está no cálculo do número de vacinas que deve chegar aos territórios indígenas. “O governo está utilizando dados populacionais do IBGE de 2010, que está defasado. Em nosso levantamento, contabilizamos que as vacinas devem atender 15% da população indígena, que aumentou nos últimos anos. Hoje, chegamos a 1,2 milhão de pessoas”, explica Nilcélio.

De acordo com o Censo 2010 aponta a existência de um população indígena de 896,9 mil pessoas, tem 305 etnias e fala 274 idiomas. “Nossa perspectiva é tentar mobilizar os governadores dos estados para que eles abram o diálogo e levem em consideração nossa realidade”, finaliza.