Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
24 de julho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Via Brasília – Da Revista Cenarium

Praça de Guerra

À coluna Via Brasília, o deputado federal Alencar Santana Braga (PT-SP) disse ter presenciado o início dos conflitos quando chegava à Câmara. Ele conta que primeiro teria ouvido os estrondos de bombas e, em sequência, veio a reação dos indígenas, que lançaram flechas sobre os policiais. Braga acredita que os manifestantes, em número pequeno em relação às polícias, tenham tentado entrar na sede da Câmara, ao que tiveram como resposta uma chuva de bombas de efeito moral e tiros para o alto. O deputado informou ter visto ao menos três indígenas feridos, um com uma bala de borracha nos olhos. Mesmo já dispersos e próximos ao Anexo IV, Alencar Braga informou que os indígenas seguiram sendo cercados pela PM do DF, que continuavam com as bombas.

Reunião com Lira

Parlamentares de oposição, incluindo Braga, se reuniram logo após o confronto e pedem uma reunião com o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL) e com o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. A Lira, pedirão que o presidente da Casa suspenda a tramitação do PL 409/2007 na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) para que o movimento indígena possa participar das discussões. Para Ibaneis, exigirão que o comando da segurança pública esclareça o porquê de tanta violência contra os manifestantes.