Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
16 de setembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações do Infoglobo

ROMA — Eitan Biran, de seis anos, foi o único sobrevivente da queda de um teleférico na Itália que matou 14 pessoas no mês de maio. Ele perdeu pais, irmão e avós no acidente. Agora, a criança está no centro de uma batalha judicial. Autoridades italianas investigam uma acusação de sequestro após o menino ter sido levado para Israel pelo avô sem o consentimento de todos os parentes.

De acordo com o jornal The Guardian, Eitan estava sob os cuidados da tia paterna Aya Biran-Nirko na cidade de Pavia. Ela obteve a custódia após ele receber alta de um hospital em Turim no mês de junho. A tia materna de Eitan, porém, iniciou no mês passado um processo de adoção, alegando que a criança estava sendo mantida refém. Gali Peleg vive em Tel Aviv.

O avô materno de Eitan, Shmulik Peleg, mudou-se para a Itália após o acidente. Ele visitava constantemente a criança. No sábado pela manhã, porém, saiu com o menino mas não retornou para casa até as 18h30, conforme combinado. Depois que a tia procurou a polícia, descobriu-se que a criança havia deixado a Itália a bordo de um avião particular com Peleg, que tinha o passaporte israelense de Eitan. Fontes diplomáticas confirmaram a chegada a Israel.

Neste domingo, em entrevista à Rádio 103FM de Israel, a tia refutou a acusação de que o menino trenha sido sequestrado.

“Não sequestramos Eitan e não usaremos essa palavra. Trouxemos Eitan de volta para casa. Tivemos que fazer isso depois que não recebemos nenhuma informação sobre sua saúde ou condição mental. Se o juiz não tivesse agendado reuniões [com a criança], não a teríamos visto”, alegou.

O advogado da tia de Eitan, Armando Simbari, defende que a criança foi “arrancada da família” e que a mudança prejudica o tratamento de saúde após o acidente. “A notícia é preocupante para todos. Eitan foi arrancado da família com a qual cresceu e dos médicos que ainda tratam de seu trauma”, ressaltou em entrevista ao jornal Corriere della Sera.

Relembre o caso

O acidente com o teleférico ocorreu por volta do meio-dia (horário local) a 100 metros da última estação e foi provocado pelo rompimento de um cabo. A cabine com 15 pessoas caiu de uma altura de 20 metros, numa encosta íngreme, e ainda rolou diversas vezes até ser parada pelas árvores.

O transporte, bastante popular, conecta a cidade de Stresa com o Monte Mottarone em 20 minutos, que fica a uma altura de quase 1.500 metros, e oferece aos turista a vista dos Alpes e do Lago Maggiore.