Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
29 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Gabriel Abreu – Da Revista Cenarium

MANAUS – O desembargador Marco Antônio Pinto da Costa, do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, decidiu nesta terça-feira, 15, suspender a diplomação do prefeito eleito de Coari, Adail Filho (PP). Na decisão, o magistrado argumentou que há uma grande probabilidade do Colegiado Eleitoral indeferir o registro de candidatura de Adail Filho.

O julgamento que deve definir o rumo político do filho do ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro, está remarcado para acontecer na próxima quinta-feira, 17, após ser adiado duas vezes na semana passada por motivo de vista e suspeição do desembargador Elci Simões.

Na decisão, o desembargador afirma que há grande probabilidade do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) indeferir o registro de candidatura do prefeito eleito, considerando que já há 3 votos nesse sentido em julgamento em andamento na Corte.

“Há altíssima probabilidade de provimento do RE para indeferir o RCAND do sr. Adail Pinheiro, dado que há três votos pelo provimento do recurso e um dos julgadores averbou-se suspeito“, diz trecho da decisão do magistrado.

Por esse motivo, o desembargador deferiu o pedido de suspensão da diplomação do recorrido Adail José Figueiredo Pinheiro marcado pelo juízo para a próxima quinta-feira, 17, até a conclusão do julgamento do mérito do presente recurso.

Adail Filho enfrenta no TRE-AM um processo que questiona a legalidade de sua candidatura e por consequência sua reeleição, considerando a tese de que o núcleo familiar da família Pinheiro chegaria ao terceiro mandato seguido, o que não é permitido pela legislação eleitoral.

Eleição

No dia 15 de novembro, Adail Filho foi reeleito prefeito de Coari, com 22.220 votos (59,45%), que teve como segundo colocado, Robson Tiradentes, com 8.871 votos (23,74%) e o terceiro, Orlando Nascimento (Avante), 2.468 votos (6,74%).

Luiz Vasquez (DEM) teve 1.966 votos (5,37%); Messias do Chora (PSL), 907 votos (2,48%); Lázaro Lopes (Podemos), 522 votos (1,42%); Siborrel (DC), 122 votos (0,33%); Luciano de Farias (Pros), 101 votos (0,28%); e Doutor Cândido Honório (PV), 78 votos (0,21%).

No dia 18 de novembro, Adail Filho renunciou ao cargo de prefeito da cidade para cuidar da saúde, agravado pela Covid-19. “Isso se dá [a renúncia] em virtude de problema de saúde que venho enfrentando ao longo de pouco mais de um ano, os quais foram sensivelmente agravados por conta da Covid-19, que fui acometido há pouco”, disse.